24 de janeiro de 2010

Desejos... também os meus!


.
.

Fotografia de Jorge Caravana, Olhares


Desejos

Disto eu gostaria:
ver a queda frutífera dos pinhões sobre o gramado
e não a queda do operário dos andaimes
e o sobe-e-desce de ditadores nos palácios.

Disto eu gostaria:
ouvir minha mulher contar:
-Vi naquela árvore um pica-pau em plena ação,
e não:-Os preços do mercado estão um horror!


Disto eu gostaria:
que a filha me narrasse:
-As formigas neste inverno estão dando tempo às flores,
e não:-Me assaltaram outra vez no ônibus do colégio.


Disto eu gostaria:
que os jornais trouxessem notícias das migrações
dos pássaros
que me falassem da constelação de Andrômeda
e da muralha de galáxias que, ansiosas, viajam
a 300 km por segundo ao nosso encontro.


Disto eu gostaria:
saber a floração de cada planta,
as mais silvestres sobretudo,
e não a cotação das bolsas
nem as glórias literárias.


Disto eu gostaria:
ser aquele pequeno insecto de olhos luminosos
que a mulher descobriu à noite no gramado
para quem o escuro é o melhor dos mundos.

Affonso Romano de Sant'Anna
.
.

43 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Estava a tentar deixar um comentário mas foi-se...vou tentar
de novo.Registei-me como "seguidor"
silenciosamente...tenho 3 blogues:
http://intemporal-pippas.blogspot.com
http://plullina.blogspot.com
e http://livethelifewiththepassion.blogspot.com
se quiser visitar, teria muito
gosto.
Saudações

São disse...

Também eu amaria , sim, que este poema se tornasse realidade!

Feliz semana, linda.

Agulheta disse...

Meg. Poema para reflectir a sociedade actual,e como gostaria que assim fosse.
Beijinho e boa semana Lisa

Ana Tapadas disse...

Meg:
Esta foto é muito bem escolhida e o poema excelente.
Beijinho

Sofá Amarelo disse...

E tudo isso seria possível, se o Homem não fosse o seu próprio coveiro... o planeta Terra suspirará de alívio quando um dia a raça humana debandar para outras galáxias...

José Augusto Nozes Pires disse...

Belo poema. E eu que não conhecia tal poeta!

EDUARDO POISL disse...

Que a minha solidão me sirva de companhia,
que eu tenha coragem de me enfrentar,
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir, como se
estivesse plena de tudo".

Clarice Lispector


Desejo uma linda semana para você.
Abraços com todo meu carinho

Janaina Amado disse...

Lindo o poema, não é, Meg? E expõe de forma cruel o mundo louco em que vivemos, e o que estamos perdendo.

Peter disse...

Eu também gostaria!
Desculpa, tenho andado afastado dos blogues, mas estou viciado no Facebook FarmVille e aquilo rouba-me o tempo disponível.

Uma boa semana para ti.

MPS disse...

Cara Meg

Tenho-me perguntado desde quando é que a palavra notícia se tornou sinónimo de tragédia e sempre me respondo com estes versos do poeta que hoje trouxe aqui:

desde que se
"foram os posters e Picasso
e as pombas não voltaram nunca mais."

(temo não ser exacta, porco cito de memória, mas é do magnífico poema "A grande fala do índio Guarani".

Um grande abraço

BAR DO BARDO disse...

Sensível como as reticências...

Meg disse...

Silenciosamente...

Se me permite, a melhor maneira de dar a conhecer os seus blogs é, quanto a mim, ler e comentar os posts dos blogs em que entra para apenas deixar um convite.
Muito obrigada.

Meg disse...

São,

Sonhar também é bom, minha amiga.

Boa semana para ti.

Beijinho

Meg disse...

Lisa,

É realmente para fazer pensar no nosso dia a dia.
Mandei.te um email.

Beijinho

Meg disse...

Ana,

Affonso Romano de Sant'Anna é um grande poeta. E dos meus preferidos.
E esta fotografia é como um olhar para o futuro.

Um beijo

Meg disse...

Sofá Amarelo,

Mas como esse dia nunca chegará...
teremos mesmo de cuidar dele.

Beijinho

Meg disse...

Zé,

É sempre tempo e indispensável conhecer o grande poeta que é Affonso Romano de Sant'Anna.
E sei que vais ter uma surpresa.

Beijo

Meg disse...

Caro Eduardo,

Obrigada pelas palavras sempre bonitas da Clarice Lispector.
Uma boa semana.

Um abraço

Meg disse...

Janaína,

Este mundo em que vivemos e tantas vezes maltratamos...
Vamos tentar recuperar o tempo perdido, minha amiga.

Um beijo

Mar Arável disse...

Muito belo

É preciso não perder a luz

mesmo ao fundo do túnel

Bjs

Meg disse...

Peter,

Já percebi que te deixaste "apanhar" pela tal quinta.
Eu não consegui ainda sequer entender "aquilo". Sou mesmo daaaa, como dizem os meus netos.

Um abraço

Meg disse...

Cara MPS,

Notícia e tragédia passaram a ser não só sinónimos como uma brutal constante nas últimas semanas, minha amiga.

E que boa memória!!!

Um abraço amigo

Meg disse...

Henrique,

Sensíbilidade, só a de Affonso Romano de Sant'Anna.
Sempre grata pela tua visita.

Beijo

Meg disse...

Mar Arável,

O túnel já o temos, a luz vai-se desvanecendo... iremos a tempo?

Um beijo

O Guardião disse...

Não conhecia o poeta que pela mostra é excelente.
Cumps

líria porto disse...

grande o poeta - os seus versos!
besos

Maria João disse...

Meg

Os desejos são vontades ou sonhos a perseguir. Servem-nos de norte, quando o desnorte nos confunde o rumo, a direcção. Utopias? Eu diria antes, lufadas de ar fresco que nos mantêm vivos e de mentes sãs!

Distinguir os contrastes é uma das formas de continuar a procurar o sol, apesar de só se vislumbrarem as sombras.


Um beijinho grande

Bipede Implume disse...

Querida Meg
"Pelo sonho é que vamos" como diz o poeta. Sem eles a vida seria muito cruel.
Uns realizam-se, outros não, mas vamos sempre em perseguição de outros sonhos.
Boa semana, amiga.
Beijinhos
Isabel

Mariazita disse...

Os "Desejos" de Affonso Romano de Sant'Ana são também os meus, e acredito que da maioria das pessoas.
Mas... a realidade é bem diferente.

A imagem é belíssima.

Beijinhos
Mariazita

Nydia Bonetti disse...

Desejos nossos... Este poema é maravilhoso, Meg.

beijo!

Meg disse...

Guardião,

Já não é a primeira vez que o trago aqui... é dos meus.

Um abraço

Meg disse...

Liria Porto,

É um prazer e uma honra merecer a sua visita e comentário.

Um beijo

Meg disse...

Maria João,

Estamos num tempo de muito mais sombras que sol.
Mas continuamos a desejar...

Um beijo para ti

Meg disse...

Isabel,

Pois se o sonho comanda a vida...
continuemos a sonhar, apesar dos pesares.

Beijinho

Meg disse...

Mariazita,

E assim vamos tentando ludibriar a realidade, minha amiga.
Gostaste da fotografia!!!
Estava a ver que ninguém reparava... é que a acho uma maravilha mesmo.

Beijo para ti

Meg disse...

Nydia,

É dum poeta brasileiro que muito admiro.

Beijinho para ti

zef disse...

Meg
Gostei do poema, sobretudo dos últimos versos.
Mas fiquei também a pensar que há "paraísos" que ainda precisam de muito tempo para se cumprirem. Enquanto isso, que vá havendo alguns "olhos luminosos", paraísos pequeninos, possíveis...
Grande abraço

Meg disse...

Meu querido Zef,

Isto tem muito que se lhe diga...

..."paraísos" que ainda precisam de muito tempo para se cumprirem.

Pois é, meu amigo. E tu tens os tais olhos luminosos e um pequeno paraíso só para ti. Felizardo!

Um grande abraço

JPD disse...

Com toda a segurança e muita emoção, afirmo peremptoriamente:

Disto é que eu gosto...

De poesia tão desafiante.

Saudações

(Pelo mérito da escolha e da ilustração)

Pepe Luigi disse...

Querida Meg
Esta minha ausência não impede, ainda que tardiamente, de desejar votos de muitas felicidades, venturas e muito amor para este ano de 2010.
Um beijinho do
Pepe

Meg disse...

Caro JPD,

Muito obrigada pelas suas palavras, que são recebidas com muito carinho.

Um abraço

Meg disse...

Pepe,

Que boa surpresa depois de um ano de ausência!
Fico muito feliz com o teu regresso, muito feliz.
Que 2010 seja também para ti um BOM ANO, é o que desejo.
Já cá tenho o Sinestesia, no lugar a que tem direito.

Um beijo

bettips disse...

Eu (re)viveria
descobrindo na relva
ou arbusto
os pirilampos duma imaginação acesa.
Mas "argumentos" são esgrimidos sem a vergonha dos métodos à vista
Bjinho