3 de janeiro de 2010

Canto uma canção... a 2010

.
.
Pintura de Maria Azenha

 

Canto uma canção.
Canto a canção do homem livre.
Canto os sonhos e pesadelos.
Canto o irmão branco
e o irmão negro.
 Canto o Oceano e o longo
poema do mar.
Canto e fortaleço-me no azul.
Canto ouvindo cantar.

Esta é a canção do homem livre.
E ninguém ousa calar-me.
Quantos quererão cantar comigo?
Quantos mais?
Mandai-me todos estes homens e mulheres
que não têm abrigo.
E eu os cantarei.
Outros que se ocupem de outras coisas.
Há muito trabalho em todos os lugares.
Não somos porventura mais que meia dúzia?
.
O meu nome dizem os rapazes
das montanhas,
alcança a outra margem.
Vai a casa dos mendigos.
Eu sempre os cantarei.


Já disse.
Eu só vim para cantar.
Outra coisa não sei fazer.
Cada som que sai
vai a todos os pontos cardeais.
Vai a casa dos poderosos
e a casa dos humildes.


Entra pela janela dos humilhados,
e canta pelos oprimidos.
Uma canção livre vai a muitas milhas em redor.

Já disse.

Eu só vim para cantar.
E cada um habitará a canção a seu modo.

Eu canto então uma canção livre.

Maria Azenha



38 comentários:

BAR DO BARDO disse...

"Eu canto porque o instante existe" - Cecília Meireles

Marco Ferreira disse...

Feliz ano de 2010. Que este novo ano possa ser o ano da realização dos sonhos que estão guardados.

marinheiroaguadoce a navegar

Janaina Amado disse...

Meg, como Maria Azenha, eu só vim aqui para cantar - no caso, o Ano-Novo, e os votos de tudo de muito bom, de melhor para você em 2010.
Há tempos já frequento seu blog e gosto dele. Vim lhe pedir licença para fazer um link dele no Enredos e Tramas, você permite? Abração!

Jorge D. Miguel disse...

Escolha excelente.
A poesia da Maria Azenha é riquíssima, um poema de força e luta.

Madalena disse...

Pelos poetas, pelos ideais, pelos músicos, pelo Amor, continua a cantar, Meg e a brindar-nos com a beleza das coisas que partilhas.
"Outros que se ocupem de outras coisas.
Há muito trabalho em todos os lugares."
Beijo

zef disse...

Olá, Meg. Assim hei-de fazer, habitar a canção ao meu modo.
Um abraço

Meg disse...

Henrique,

Grande Cecília... sou admiradora.

Um abraço

Meg disse...

Marco,
Assim esperamos e desejamos, meu amigo.

Um abraço

Meg disse...

Janaína,

Recebê-la aqui, merecer a sua visita, é para mim uma honra enorme.
Imagina a Recalcitrante no Enredos!
Vou ficar babando, verdade!

Obrigada por sua amizade. minha querida. E um Novo Ano com tudo de bom para você.

Beijo

Meg disse...

Jorge D.Miguel,

Bem vindo a este espaço e o meu muito obrigada.
Partilhamos a mesma opinião sobre a Maria Azenha...
Tentei visitá-lo mas... fiquei em branco.
De qualquer forma, a sua presença será sempre um prazer.
Um Bom Ano para si.

Um abraço

Meg disse...

Madalena,

É pela palavra dos poetas que digo muito daquilo que sinto... e fazem-no com muito mais sensibilidade.

Obrigada pela amizade e pelas tuas palavras bonitas.

Beijo

Meg disse...

Zef, meu amigo,

E como tu o saberás fazer bem!
Acompanho-te.

Um abraço

São disse...

Que a canção livre e as alegres cores da artista estejam sempre presentes no teu 2010, amiga!

Um fraterno abraço.

Meg disse...

São,

Gostei muito deste poema para abrir este ano que começa.
Muito obrigada, minha amiga.

Beijinho

JPD disse...

Poema fantástica, desafiador, exaltante.

A ilustração é perfeita.

Saudações

Ana Tapadas disse...

Meg:
Este poema é uma maravilha, um desfio...
«Esta é a canção do homem livre.» é assim que o teu blogue respira.
Beijinho

Meg disse...

Caro JPD,

Na Poesia e na pintura, Maria Azenha é uma Mulher a conhecer.
Muito obrigada pelas suas palavras.

Um abraço

Meg disse...

Ana,

Gosto muito da Maria Azenha, a poetisa e também a pintora.
E gostei muito de abrir este ano com este poema tão belo!

Beijinho

Nydia Bonetti disse...

"Caminhando e cantando e seguindo a canção", Meg. Precisamos cantar -canções de liberdade, canções de vida. Amei esta canção de Maria!

beijooos

Decio Bettencourt Mateus disse...

Um poema agradável e suave, e de aparente fácil escrita que consegue transportar uma forte carga emotiva. Gostei.

Entre "linhas" disse...

A palavra do poeta é como a nossa alma aberta aos sinais da vida.
Que o ano 2010 possamos viver intensamente com muita paz e esperança, pois a vida é a maior dávida e benção de Deus.
Beijinhos Zita

O Guardião disse...

Bonitas expressões de Liberdade, em Poesia e Pintura.
Cumps
JL

Mariazita disse...

Meg
Foi óptima a tua escolha para início de ano.
É um poema belíssimo, forte, que me encantou; muito bem encimado pelo quadro da mesma autora.

Que a inspiração continue a acompanhar-te, e que 2010 te seja sempre risonho.

Beijinhos
Mariazita

Maria João disse...

Meg

e que nunca a voz nos doe por cantá-los...

Beijinhos

Meg disse...

Nydia,
É isso mesmo... caminhando e cantando!
Cantemos a vida neste 2010.

Beijinho

Meg disse...

Décio,

Gosto muito da poesia de Maria Azenha, e deste poema em particular pela aparente simplicidade das suas palavras.
Tem muita força, como dizes.

Um bom ano!

Um abraço

Meg disse...

Zita,

Que bom saber-te de volta!
Há quanto tempo nos perdemos?
Obrigada pelos teus votos, que retribuo, do coração. minha amiga.

Um bom ano e um abraço

Meg disse...

Guardião,

Além de poeta, Maria Azenha tem telas muito bonitas - como esta.

Um abraço

Meg disse...

Mariazita,

Uns dias mais, outros menos, passado o Natal, espero que a inspiração volte.
Como eu, gostas também da Maria Azenha pintora - fico feliz, Mariazita.

Um beijinho para ti

Meg disse...

Maria João,

Não vai doer, que a prática vem de longe, minha amiga.

Beijinho para ti

Carminda Pinho disse...

Um post excelente para (re)começar...

Cantemos também nós a liberdade e lutemos, para que nunca mais a percamos.

Beijinhos, Meg.

PS: Estou muito feliz, sim. Já só faltam 4 meses...:)

Pata Negra disse...

Cantemos pois, nem que para tal tenhamos de chorar! Mais ano, menos ano subiremos ao Céu, pena não sabermos onde é o elevador!
Um abraço cantado

Zé Povinho disse...

Cantemos a Liberdade, para que se saiba o que isso é.
Abraço do Zé

Peter disse...

"Uma canção livre vai a muitas milhas em redor."

Sempre gostei da poesia de Maria Azenha que teve a amabilidade de me oferecer uns livros, em tempos idos.

Meg disse...

Carminda,

E como vão ser compridos esses quatro meses!
Vamos então cantá-los.

Beijo

Meg disse...

Meu caro Pata Negra,

Ai vamos chorar, vamos, pelo caminho que as coisas levam!
Mas enquanto o pau vai e vem... cantemos ao 2010.

Um grande abraço para ti

Meg disse...

Zé,

Será que já estamos a perdê-la?
É isso que me assusta. Vamos alimentar a esperança cantando o poema.

Um abraço

Meg disse...

Peter,

És um felizardo... livros da Maria Azenha.
Eu também gosto muito da poesia e da pintura dela. Cantemos então!

Um abraço