30 de abril de 2009

O que é isto???

. . É para isto que pagamos os nossos impostos??? Quantos elementos judiciais estão ocupados com este "terrível" crime??? É um caso para rir ou para chorar???? . . . O "CASO"... FURTO DE GATA, NA JUSTIÇA Encontrou a gata "Maria" abandonada e prestou-lhe cuidados médicos. Em troca, a dona do animal "presenteou-a" com um processo judicial, acusando-a de sequestrar "Maria", pelo qual começou, esta quarta-feira, a ser julgada. Apenas uma falha generalizada no sistema informático dos Juízos Criminais de Lisboa, ontem, evitou que Cláudia Sousa explicasse qual a razão que a levou, em Agosto de 2006, a recolher da rua uma gata ferida, a dar-lhe guarida e assistência médica, mas a não devolve-la à dona, após conhecer a sua identidade. Este foi o segundo adiamento deste insólito julgamento, desencadeado por uma queixa à Polícia de Maria Emília Palhinha, a dona do animal, que ontem acusou a arguida de chantagem. "Quando descobriu pelo 'chip' que era eu a dona, telefonou-me e disse-me que só me a devolvia se lhe conseguisse explicar como é que, morando na Graça, a gata tinha aparecido abandonada em Carnaxide [a 13 quilómetros]. Ameaçou que me levava a tribunal por maus tratos à gata", explicou. Já Cláudia Sousa adiantou que, após o veterinário ter detectado o 'chip' no animal, se comprometeu a devolver a "Maria" logo que estivesse curada dos ferimentos que apresentava. Mas o pior aconteceu: dias depois, numa estadia nas Caldas da Rainha, para onde acompanhou Cláudia e a família, "Maria" fugiu. Ora, como a 'actriz' principal deste enredo nunca mais apareceu, não existe o elemento da subtracção. Daí que o Ministério Público tenha proposto, ontem, a alteração da qualificação da acusação, de crime de furto de uma gata para "o de aquisição de coisa achada". A mudança deverá ser analisada na próxima sessão, ainda sem data marcada. No canto da sala de audiências, inconsolável, Maria Emília lá admitiu ser perseguida pelo azar. Ao JN, acabou por confessar que antes de "Maria" já uma outra gata se tinha escapulido. E talvez pelo mesmo método de fuga encetado pela sua sucessora: um salto da varanda. "Por isso é que pus um 'chip' na "Maria", frisou. Nuno Miguel Ropio JN, hoje, 30 de Abril de 2009 . . .

18 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG

Sim Meg é para isso que pagamos os nossos impostos. E não só para isso, também para as injecções de capital nos Bancos. Bom, e também para que os nossos dirigentes tenham uma vida à maneira que honre a imagem deles.
Mas, querida Meg, este caso é tão rídiculo e chocante se pensarmos como a justiça funciona e não funciona em casos que todos conhecemos que nem sequer consigo comentá-lo.É que não há palavras!..

Abraço

padeirinha disse...

Ao ponto a que chegámos. E sentimos que os políticos, magistrados,autarcas, construtores etc; estão todos comprometidos uns com os outros.

Peter disse...

Isto é um país de loucos. E ainda se admiram do aumento das taxas da justiça!

Parabéns ao João M que ganhou sucessivamente os 3 processos por difamação que lhe tinham sido movidos.

O Guardião disse...

Pouco poético o caso, como aliás já tinha sido o do pilha-galinhas, mas aí o lesado desistiu da queixa, mostrando mais compreensão que esta senhora.
Cumps

Bipede Implume disse...

De facto,não dá para acreditar.
Li a notícia esta manhã e não, não vinha na página das futilidades e o 1º de Abril já lá vai.
Fico muito feliz por gostares das margaridas. São todas tuas.
Bom feriado e fim de semana, amiga.
Beijinhos.

Maria disse...

Eu fiquei pálida quando ouvi a notícia.
É apenas uma manobra de diversão, mais uma. A ver se nos apanham distraídos...
Mas somos nós que pagamos, sim!

Bom 1º de Maio, Meg.

Beijo, deste lado nosso

Meg disse...

SILÊNCIO CULPADO,

Lídia, é mesmo impossível comentar estes factos, de tão ofensivos que são para quem tem realmente necessidade de justiça.
E há gente capaz de utilizar (abusar de)os poucos meios da justiça para "isto"...

Um abraço

Meg disse...

Peter,

Somos um povo com gente capaz de mobilizar meios judiciais para "isto", é o que me revolta.
Da Justiça, coitada...

Um abraço

Meg disse...

Guardião,

É mais um um retrato do país, do povo e da Justiça que temos.
Se até há quem troque uma criança adoptada por um cão... ficando com o cão, claro!

Um abraço

Meg disse...

Isabel,

Pois podes acreditar, pois o caso ainda nem está encerrado, e enquanto este espectáculo continua, é menos um processo a sério que espera.

Triste país de tal gente.

Um abraço

Meg disse...

Padeirinha,

Chegámos e vamos continuar, pelos vistos, que isto está para durar.

A mentalidade das pessoas não muda, mesmo daquelas cuja formação académica faria supôr uma melhor cidadania. Um canudo não evita a estupidez.

Um abraço

Meg disse...

Maria,

Não sei se é manobra de diversão... sei que me deu vergonha ver estas pessoas e esta justiça. E raiva, muita raiva.

Bom 1º de Maio, Maria, festeja-o por mim que vou ter um dia de trabalho intenso.

Um beijo deste lado também.

Mariazita disse...

Olá, Meg
Sem dúvida, vivemos num país de "lírios"...
Isto é tão ridículo, tão fora de senso, que custa a acreditar que não se passe num manicómio!
E quem paga? É o Zé!!!

Amiga, volto mais tarde ou logo que possível porque QUERO ler o post anterior, com calma. Poemas desse poeta não se podem perder.
Mas não quis deixar de vir agora para te dizer que desejo que o teu fim de semana seja bem produtivo :))), para ver se ficas mais liberta.

Bom feriado.

Beijo
Mariazita

São disse...

Desculpa, mas eu nem tenho palavras para comentar...

VIVA O 1º de MAIO!!

Bom fim de semana prolongado.

Papoila disse...

Querida Meg:
Chocante, e um anedótico retrato do funcionamento da "justiça" no nosso país... Se pensarmos nos atrasos das resoluções no Tribunal de Menores então mais chocante ainda.
Beijos

Meg disse...

Mariazita,

Não sei se o fim de semana vai ser produtivo, mas que é trabalhoso, isso é... e sem horários, como sempre nestas alturas de férias para a maioria.

Mas não me posso queixar, não é?

Só na 2ª feira estarei disponível. minha amiga.

Um beijo

Meg disse...

São,

E como comentar uma coisa tão absurda? O desplante de certa gente é insultuoso, para não dizer mais.

Um beijo

Meg disse...

Papoila,

Eu aqui não sei o que é pior, se o comportamento das criaturas envolvidas, se a Justiça no seu estado deplorável.

Um beijo