4 de fevereiro de 2010

Ah...não me tragam jornais !


.
.


Comunikação

Ah , não me tragam jornais !
nem discursos nem notícias !
nem ciências d’empilhar astros !
Sou filha de todo o mundo
e escrevo versos de rastos !
......
E do Espaço comuniko ,
no Espaço digo a meu Pai :

Tempo nublado no Mundo !
Buenos Aires ,
nenhuma Consolação
Rio ,
1992 , Mar de Junho ,
Nova Iorque ,
Ladrão .

Europa!
Sábado!
Domingo !
A Grande e Monumental Prisão
no almofariz-atómico da Terra!

No Espaço comuniko :
digo pobre ,
digo rico ,
a calça negra do PIB
o quark
o IP : ou seja :
o índice de Poluição ,
o Buraco-Negro ,
a crise do Relâmpago ,
a chuva na Jugoslávia ,
IELTSIN ,
os sete países mais ricos ,

milhares de hectares produzidos
por novos escravos
em novo estilo marquês-de-sade ,

Projectado em iates ,
onde cromossomas azuis de fino trato
são exportados diariamente
para a Produção
para a Perfeição-Extrema-do-Corpo ,
para todas as Ideologias de Conforto ,
para os eclipses ,
para o Morto ,
para a Notre-Dame-da-Vida ,
para o Catolicismo-do-Ozono ,
para a Comunicabilidade diária ,
para o Esgoto .

para quem sabe no governo traficar
um Kilo de Cocaína ,
um metro de papoilas ,
um carro ,
uma camioneta de moscas ,
um camião de políticos ,
doze facadas , embriões humanos in vitro ,
uma colecção de narcóticos ,
um tubo de ensaio de Gritos ,
homens e mulheres irreconhecíveis
e ainda
um museu de Presos trucidados
enquanto uma Laranja adormecida
se penteava .

tudo isto participa
dum meti-cu-lo-sí-ssimo Plano !
tudo isto é o Grande Circo da Propriedade Humana !
tudo isto funciona como um Carnaval avariado
pela Esfinge do Caos ,
pelo código das Esculturas da Noite
que em nome da Santa-Fome
em nome de todo o globo ,

vão construindo

milhões de dormitórios para não-haver-sono ,
supermercados para o Consumidor ,
hipermercados para o Hiperconsumidor ,
cartões de Crédito para o Devedor,

Sistemas telefónicos internos
Para
CO
MU-
NI
KAR nenhum fogo
avenidas –sem-ruído para não-ser amor
professores para o não-pensador ,
computadores
para CO
MUNI-
KAR

e no centro do globo ,
a Consciência
Cósmica sem ter um lugar !

E ainda ,
num raio de 70 metros aproximadamente
todas as ruas arborizadas milimetricamente
com
moscas voadoras,
árvores de plástico,
varejeiras,
flores,
e
as montanhas
não vão aumentar de preço !

a cada mugido de uma vaca
é logo separada a Cria !

e tudo isto ,
pela cor-verde-mar
dos pecados de Roma
e
das Flores putrefactas.
Tudo isto como um jogo de Deus e do Diabo
num supermercado vazio !
Tudo isto porque Adão e Eva
não conhecem a Poesia de Vanguarda !

Em minha opinião
os Donos do Mundo e os seus Revendedores
alcançaram a graça recebida
pelo espírito do Lodo
no plano astral da Vida .

mas eu digo :
Nós não somos Gado !
Nós somos Criadores !
e por tal motivo ,
em vez de Pássaros e Ruídos ,
traremos para a Conferência do Mundo
o chão varrido pelos lábios destes Senhores ,
e em nome do Cosmos ,
em nome da essência do Homem ,
da nova Atlântida do mundo ,
semearemos acácias
no
ventre dos meninos !

Folhearemos mais tarde
o
Álbum da Terra
e
os cinco continentes de ouro
serão
to-
dos
UM !
 
Maria Azenha
.
.

42 comentários:

José Augusto Nozes Pires disse...

Que viva Maria Azenha, a Poeta!

Anónimo disse...

Também eu adoro a poesia de Maria Azenha.

Deixo-lhe esta informação que certamente lhe interessa:

RECOMENDO:


"de amor ardem os bosques" - novo livro da Poeta Maria Azenha

*


"A harmonia foi a minha mãe na canção das árvores e foi entre as flores que aprendi a amar."

Friedrich Hölderlin

*
Tiragem de 250 exemplares, dos quais 50 numerados e assinados pelo autor.

Reservas pelo email: maria.azenha@gmail.com
A sair na primeira semana de Fevereiro/2010

Edição limitada.


Rui Duarte

Pata Negra disse...

eh pá, pela cara da senhora da foto, ela nem parece estar assim tão mal. (Sabes Meg que não sou nada dado a poetas, não procuro o seu conhecimento, chega-me ser objecto da sua poesia). Maria Azenha! Mas uma a impor-me respeito!
Era apenas para dizer que já não sei se me sinto objecto do poema ou se estou assim que nem ele!
Um abraço azenho

São disse...

EXcelente, duas vezes: o poema e a tua opção.

Um abraço, linda.

Ana Tapadas disse...

Assim é que é! Que belo poema cheio de conteúdo. É um poema necessário! (especialmente no dia de hoje)
«Sou filha de todo o mundo
e escrevo versos de rastos ! »
Beijo

BAR DO BARDO disse...

A mulher tem lá inumeráveis motivos para tanto. Todos temos.

Gostei em especial:


"... a graça recebida
pelo espírito do Lodo..."

Meg disse...

Zé,

Uma grande poeta... e pintora também!

Um abraço

Meg disse...

Caro Rui Duarte (?)

Concordo consigo e agradeço a informação... até porque já li uns excertos do livro.
Vou tentar reservar. Muito obrigada.

Cumps.

Meg disse...

Meu amigo Pata Negra,

Tu dizes que não és dado a poetas, mas não sei se deva acreditar, já que a forma como teces os teus comentários tem algo de poesia.
Olha só este elogio! Não é todos os dias que estou assim!

Um grande abraço

Meg disse...

Ana,

Ando há muito para publicar este poema mas achava-o longo demais.
Hoje não resisti... só espero que gostem tanto dele como eu.

Beijinho para ti

Meg disse...

São,

Ainda bem que gostaste... é um dos meus preferidos.

Beijinho

Meg disse...

Henrique,

É realmente uma grande poeta, e fiquei muito feliz com as tuas palavras de agrado.
Sensibilidade pressente-se.

Um abraço

NAMIBIANO FERREIRA disse...

sempre delicioso este blog que nao visitava faz tanto tempo por motivos que tu já sabes... ah como é bom beber calmamente cada postagem, nao podes parar, nao poedes!!
Bj
Kandandu

maria disse...

muito bom e actual.
xi
maria de são pedro

Multiolhares disse...

Bonito o poema, retracta tão bem este mundo actual cheio de lodo feito pelos homens
beijinhos

vbm disse...

Bonita, a música de fundo!
Mas não vi onde está a emissão...

:)

EDUARDO POISL disse...

"... E de novo acredito que nada do que é
importante se perde verdadeiramente
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas,
dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei,
todos os amigos que se afastaram,
todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Miguel Sousa Tavares

Desejo um lindo final de semana.
Abraços com carinho.

APC disse...

A Maria Azenha é fabulosa; conheces os outros heterónimos dela?! Grande escolha.
Beijinhos, Meg

vbm disse...

Ah, já vi!
Está no fim,
no MP3.codes.

:)

Zé Povinho disse...

Poesia é uma excelente forma de Comunicação.
Abraço do Zé

Meg disse...

Caro Nami,

É muito bom saber-te de volta com os problemas ultrapassados, e sempre com uma palavra amiga.
Tentarei não parar, embora daqui para a frente o tempo seja mais escasso pelos afazeres profissionais, mas os amigos já estão habituados a estes altos e baixos.

Um grande abraço para ti

Kandandu!

Meg disse...

Maria de são pedro,

Bem vinda a este espaço. Obrigada pelas suas palavras... só lamento não poder retrbuir a visita.

E um xi para si também. Maria...
Será...?

Meg disse...

Multiolhares,

Luna, a Maria Azenha dá-nos neste poema um retrato de muito o que vivemos neste momento.

Bom fim de semana

Beijo

Meg disse...

Vasco,

A música é do Vangelis, o Prélude, e a esta hora já a encontraste, rsrs.

Um abraço

Meg disse...

Caro Eduardo,

Muito obrigado por este texto que aqui deixa... escreveu-o realmente Miguel Sousa Tavares após a morte de sua mãe, a nossa Sophia de Mello Breyner.

Um abraço

Meg disse...

Caro António,

Sim, conheço... alguns, não sei se todos!

Um abraço

Meg disse...

Vasco,

Ahahah... que coisa mais simples!

Bom fim de semana e um abraço

Meg disse...

Amigo Zé,

É o que eu tento fazer mas por portas travessas.
Pela poesia dos meus autores preferidos...

Um abraço e bom fim de semana

Chris disse...

Um poema repleto de encanto e uma dinâmica de alerta ao rodar deste planeta.
Parabéns!
Um beijo
Chris

Nydia Bonetti disse...

"a cada mugido de uma vaca
é logo separada a Cria!"

Coisa mais doída, Meg. Que haja tempo ainda de semear acácias...

Maravilha de poema! Beijos.

Madalena disse...

Muito oportuno, como sempre
Bjs e saudades

zef disse...

Meg
Li o poema, mas os domingos, para mim, não são propícios a leituras longas...Gosto muito de poemas de Maria Azenha, mas, por ser domingo hoje, guardo só isto:

"semearemos acácias
no
ventre dos meninos!"

Desculpa-me tu a a Maria Azenha também, se passar por aqui.
Abraços

Mariazita disse...

Não conhecia este delicioso poema de Maria Azenha (gosto muito dela).
É forte, vigoroso, repleto de conteúdo.
Que bom que o trouxeste aqui; foi a forma de eu o conhecer.
Obrigada pela partilha.

Resto de bom domingo.

Beijinhos
Mariazita

PS - Tenho estranhado a tua ausência... Há algum problema? Sabes que podes confiar em mim, não sabes???
Hoje publiquei o último capítulo de Anita. Não queres ir despedir-te dela?

O Guardião disse...

Poeta e pintora de óptima qualidade.
Óptima escolha
Cumps

Meg disse...

Chris,

Obrigada pelas tuas palavras...Estou em falta... eu sei, sorry!

Beijinho para ti

Meg disse...

Nydia,

Dizes bem... e as acácias são irresistíveis...
Loucos vão os tempos, minha amiga.

Beijo para ti

Meg disse...

Madalena,

Maria Azenha é sempre oportuna neste espaço.
Também tenho saudades, mas temo-nos cruzado por aí... eu sempre a correr.

Beijinho

Meg disse...

Zef,

E guardaste palavras muito bonitas...!!!
E porque é domingo, estás perdoado, rsrsrs.

Um beijo

Meg disse...

Mariazita,

Obrigada, minha amiga, pelo teu cuidado.
Lá irei visitar a Anita - eu já passei lá ontem, mas apenas voando - e quando vi o Requiem pensei que era o fim. Mas ia voltar para ler e comentar.

Mariazita, depois de uns meses em casa, estou preste a retomar a minha actividade profissional já neste próximo fim de semana - aqui onde vivo, o ano começa com o Carnaval e prolonga-se até ao fim do Verão.
Vou entrar num ritmo mais lento aqui no blog, principalmente nos comentários, mas não deixarei de visitar os amigos.
Só não prometo comentar com a mesma assiduidade, o que já está a acontecer. De resto está tudo bem.

Um beijinho para ti e uma boa semana.

Meg disse...

Guardião,

Ia passando por ti sem dar conta.
A Maria Azenha para ti já não é novidade, nem como poeta nem como pintora... Fico feliz por teres gostado deste poema.

Um abraço e boa semana

Anónimo disse...

uau...
olá meg
que bom dar um salto por aqui, e descobrir estas maravilhas.
são gritos!
falta agora abanões....
de consciência.
abraço do vale

Peter disse...

O poema é uma maravilha.