17 de fevereiro de 2010

Isto é verdade...???

Por razões profissionais, andei muito atarefada nesta última semana, não tive tempo para jornais, TVs e afins.
Não tive tempo para os amigos, para o blog, para os blogs.
E quando pensava que o Carnaval tinha acabado... ouço isto na Sic... confirmo nos jornais...
SERÁ POSSÍVEL?... pergunto eu!

Colectivo de juízes julga roubo de saco de amêndoas

De acordo com o Código de Processo Penal, compete ao tribunal colectivo (por oposição a um tribunal singular) julgar processos que digam respeito a crimes cuja pena máxima seja superior a cinco anos.
'Ganita' e 'Pistolas' estão acusados de um crime de roubo, punível com pena de prisão até oito anos.
De acordo com a acusação do Ministério Público, a que a Lusa teve acesso, a 15 de Março de 2009 um dos arguidos foi visto num supermercado a esconder na roupa um saco de amêndoas e uma garrafa de whisky (que não chegou a ser apreendida).
Uma funcionária do supermercado ter-se-á apercebido da situação, solicitando ao arguido a devolução dos produtos.
O arguido terá negado a posse das amêndoas e da garrafa e atirado "violentamente" a responsável contra os expositores, enquanto o segundo arguido a ameaçava.
Na sessão de hoje, a funcionária contou ter visto 'Ganita' a esconder os dois produtos, após o que o interpelou, mas admitiu que possa ter devolvido a garrafa antes de sair da loja.
Durante as alegações finais, o próprio procurador do Ministério Público considerou terem ficado dúvidas quanto ao roubo da garrafa, "mas das amêndoas temos a certeza que foram no bolso".
Filipe Melo, advogado do arguido, salientou o "exagero" da acusação e do próprio julgamento.
"Parece que estamos a julgar um homicídio, com coletivo de juízes, quando se trata do furto de um pacote de amêndoas".
Sobre o segundo arguido não houve testemunhos da sua implicação nos factos, pelo que o advogado de defesa pediu a sua absolvição.
A leitura do acórdão ficou marcada para 22 de Fevereiro no Tribunal de Matosinhos.


Ainda dizem que a Justiça não funciona???

28 comentários:

mfm disse...

É - o Carnaval não vai acabar tão cedo.
E depois dizem que os tribunais estão atulhados de processos.Fizeram tanto reclame com a mediação de conflitos que nestes casos resolvia rapidamente, mas pelo visto anda tudo à deriva.

Maria disse...

Gosto dos nomes 'ganita' e 'pistolas'.
E pensar que os outros andam por aí à solta... fico com azia!

Um beijo, Meg.

José Augusto Nozes Pires disse...

Com esses nomes tão expressivos tinhamos aqui uma bonita história. Talvez algo parecido com »Os Miseráveis», à medida da nossa pequenez, claro.

bettips disse...

O outro não atirou com os 30 dinheiros e ficou traidor para sempre?
É preciso dar as amêndoas a quem tem padrinhos...
Funciona neste país de máscaras.
Bjs

Luís disse...

Isto depende muito do supermercado onde se deu o roubo, se foi num dos do Belmiro, o réu devia ter sido julgado na base de "ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão".
Não existe uma justiça, existem várias!Provavelmente, numa sala ao lado, estaria a ser julgado um caso de milionária corrupção e o réu teria sido ilibado por falta de provas e o denunciante condenado por difamação. Ou talvez não, provavelmente o caso nem sequer chegou a tribunal por prescrição.
O abraço possível

Meg disse...

mfm,

Bem vinda a este espaço... espero que se sinta em casa.
Pois é, o Carnaval, como se vê, continua. Até quando?

Um abraço

Meg disse...

Maria,

Não há Alka Seltzer que chegue para tanta azia!
E, além de azia, já começa a enjoar, Maria!

Beijinho para ti

Meg disse...

Zé,

Acertaste...Os Miseráveis!
Que fazer?

Um abraço

Meg disse...

Bettips,

Agora não são trinta dinheiros... é pipas de... milhões.
E a Justiça a funcionar assim, minha amiga!

Beijinho

Meg disse...

Luis,

Existem várias justiças?
Ou não há justiça nenhuma?
A mim parece-me que realmente o que não há é uma justiça séria.
Para mal de nós e proveito de uns (muitos) quantos.

Um abraço.

Cid Simões disse...

Vai ser absolvido. O pacote de amêndoas era para adoçar a boquinha ao senhor Primeiro-ministro que bem o merece.Né!?

Maria João disse...

Meg

E andamos nós preocupados com outras "coisas" bem mais insignificantes...
Só isto mesmo para nos fazer rir... ou chorar?!


Um beijinho

Sofá Amarelo disse...

Eu acho que ele devia apanhar um ano por cada amêndoa comida, agravado se as amêndoas forem cor-de-rosa.

E mais: se eu fosse advogado dele aconselhava-o a ter molestado bastante a senhora pois assim já estaria cá fora.

Malandro, onde já se viu apropriar-se de um saco de amêndoas. Sequestro é que era!!!

Zé Povinho disse...

Funciona mesmo, o problema é que mal e a más horas.
Abraço do Zé

O Guardião disse...

A Justiça está doente e cada vez menos operante.
Cumps

Ana Tapadas disse...

E...acredita, podes acreditar, o Carnaval ainda não acabou!
beijinho

São disse...

Mas quem disse que o Carnaval acabou?!...Só o Entrudo, minha amiga!

Um bom domingo

JPD disse...

Já não é a primeira vez que oiço e leio exemplos dessa natureza.

Os créditos da justiça andam tão "unrated!"...

Saudações

Anónimo disse...

daqui a nada , pouco nos restará , senão a justiça popular.
não que seja a favor de tal cenario, mas que por aí nos vão encaminhando , lá isso vão.
quando os poderes se tornam quase absolutos, são estas pequenas estórias que nos vão aparecendo.
tenho amigos ligados ao poder judicial e penal, que me vão dizendo, que nada podem fazer, pois tudo está devidamente controlado.
do vale para si um abraço

Meg disse...

Meu caro Cid,

Olha que não tenho tanta certeza de virem a ser absolvidos.
O crime é grave...

Um abraço

Meg disse...

Maria João,

Um colectivo de juízes para um pacote de amêndoas... só pode ser para chorar a rir!

Beijinho para ti

Meg disse...

Sofá Amarelo,

Só agravantes...
Esta justiça é uma anedota.

Beijo

Meg disse...

Zé,

Achas que funciona?
Nestes casos parece até que exorbita.
E nos outros????

Um abraço

Meg disse...

Guardião,

Doente... moribunda e sem direito a extrema-unção.

Um abraço

Meg disse...

Ana,

E nós já nos vamos habituando a tanta palhaçada.

Beijinho

Meg disse...

São,

Como dizia à Ana, o carnaval dura o ano inteiro... e nós já nos habituámos às máscaras.

Beijo para ti

Meg disse...

Caro JPD,

Mas a justiça ainda tem créditos?
Nem merece ser escrita com maiúscula!!!

Um abraço

Meg disse...

Duarte (Anónimo)

Não sejas tão radical... ainda me resta alguma esperança. Muito pouca mas... justiça popular NÃO!
Por onde andas?

Um abraço