4 de maio de 2009

Lembrando José Gomes Ferreira

. .
Serenade, de Cecily Brown

.
Vai-te, Poesia!
Deixa-me ver a vida
exacta e intolerável
neste planeta feito de carne humana a chorar
onde um anjo me arrasta todas as noites para casa pelos cabelos
com bandeiras de lume nos olhos,
para fabricar sonhos
carregados de dinamite de lágrimas.
Vai-te, Poesia!
Não quero cantar.
.
Quero gritar!
José Gomes Ferreira
.
.
.

51 comentários:

Maria disse...

É enorme, o Zé Gomes.
Obrigada, Meg.

Beijinho

Menina do Rio disse...

Gritante! Não o conhecia

Fica com um beijo de boa semana Meg

Amaral disse...

Meg
Belo poema. Belo grito. Quantas vezes precisamos de soltar os nossos gritos, para expurgarmos alguns males
Abraço

Agulheta disse...

MEG. Eu adoro José Gomes Ferreira,este poema tão belo e gritante! adoro,e se calhar todos deviamos soltar o Grito e bem alto.
Beijinho fica bem

Nydia Bonetti disse...

Meg
Não conhecia nem o poema nem a tela. Ambos me impressionaram muito. Cores fortes, imagens que tocam fundo: "dinamite de lágrimas"...
beijos

Papoila disse...

Querida Meg:
Bem recordado aqui José Gomes Ferreira com este grito pela humanidade!

"Não quero cantar..Quero gritar!"

Beijos

Carminda Pinho disse...

Também a mim me apetece gritar, Meg.

Olha, gostei muito desta poesia. Não a conhecia.
Obrigada.

Beijos

Meg disse...

Maria,

Enorme é pouco, Maria.

Um beijo

Meg disse...

Menina do Rio,

Um dos nossos grandes autores que ainda não tinha t´publicado aqui.

Uma boa semana e um beijo

Meg disse...

Amaral,

E o José Gomes Ferreira foi dos que gritaram, e muito.

Um abraço

Meg disse...

Lisa,

Está a chegar o tempo de "gritar", mas não com a voz... com o voto.

Um beijo

Meg disse...

Nydia,

José Gomes Ferreira há-de voltar cá mais vezes, e a Cecile Brown também... gosto muito das suas telas.

Um beijo

Meg disse...

Papoila,

E como o tempo está mais para gritar que para cantar!

Um beijo

Meg disse...

Carminda,

Então gritemos, minha amiga, que a voz não nos seja calada.

Um beijo para ti

Luis Eme disse...

o grande Zé...

abraço Meg

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Outro dos grandes, tem o nome do meu pai e muitas vezes "enganei" as professoras de portugues que nao sabiam que este é um pseudónimo... lol.
Sempre uma grande maravilha vir aqui visitar-te!!!
Obrigado, Meg!

Alexa disse...

Meg
é lindo e gritante
Talvez estivesse na hora de todos os nossos gritantes gritos.
o beijinho

vbm disse...

Vê este, dele:

Nunca encontrei um pássaro morto na floresta.

Em vão andei toda a manhã
a procurar entre as árvores
um cadáver pequenino
que desse o sangue às flores
e as asas às folhas secas...

Os pássaros quando morrem
caem no céu.

O Guardião disse...

São muitas as vezes em que nos apetece gritar, tantas são as injustiças e as barbaridades com que nos deparamos, mas a vida está aí, temos que a viver o melhor que soubermos.
Não conhecia este poema, mas hoje estou de muito bom humor, como se pode ver...
Cumps

bettips disse...

São os gritos de Maio, Meggy!
De poetas ou de simples pessoas.
Bj

Meg disse...

Luís Eme,

Grande e um pouco esquecido, nãp achas?

Um abraço

Meg disse...

Caro Namibiano,

O teu pai? O meu também... curioso!
Obrigada pelas palavras sempre gentis.

Um abraço

Meg disse...

Alexa,

Pois está a chegar a hora, força!

Um abraço

Meg disse...

Vbm,

Mais uma pérola que me deixas... não, não conhecia, mas vou pesquisar.

Um abraço

Meg disse...

Guardião,

O teu humor, seja bom ou mau, é sempre bem-vindo aqui, como sabes.
Há tempos para tudo... hoje isto está de gritos...

Um abraço

Meg disse...

Querida Bettips,

Os gritos de Maio são de todos nós... tenho essa esperança.

Beijinhos

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

anamarta disse...

Meg
Nos dias que atravessamos apetece-nos muito mais gritar que cantar!!!
Abraço-te com carinho

Vieira Calado disse...

E lembra muito bem!

Por acaso conheci-o pessoalmente.

Descia todos os dias a Avenida da Liberdade, a fazer versos...


Bjs

utopia das palavras disse...

Ainda ontem me passou pelas mãos este poema...adoro-o!

Obrigada!

beijos

Bipede Implume disse...

E foi muito bem lembrado, minha amiga.. Quando nem a poesia nos acalma só gritando mesmo.
Também andei um pouco atarefada mas estou de volta.
Muitos beijinhos.

samuel disse...

Muito bom! Bela escolha!

Abreijos.

Meg disse...

Uma Página para Dois,

Eduardo,

Foi bom recordar essa grande Maiza.
Obrigada pelo poema.
Um abraço

Meg disse...

Anamarta,

E vamos gritar quando chegar a hora, minha amiga.

Um abraço amigo

Meg disse...

Amigo Vieira Calado,

É sempre bom cruzarmo-nos na vida com homens como o JGF, um homem e um poeta especial.

Um abraço

Meg disse...

Utopia das Palavras,

Ausenda,

José Gomes Ferreira nunca está ausente, e principalmente nestas duas últimas semanas... 25 de Abril e 1º de Maio.

Um abraço

Meg disse...

Isabel,

E gritamos, mas muitas vezes para dentro, que ninguém nos ouve.Mas o dia chegará.

Um beijo

Meg disse...

Samuel,

JGF é um poeta fundamental.

Um abraço

Moacy Cirne disse...

Um poema forte,
digno de um caba da peste.

Cheiros.

ParadoXos disse...

um documento poético poderoso!!
uma escolha requintada...

beijinhos do heduardo

Ricardo Calmon disse...

Está a tempo de gritar com voto,com atitude,com tudo,Meg!

I Viva A Vida!

Mar Arável disse...

O nosso Zé Gomes sempre

bem vivo

Pata Negra disse...

Vem-te poesia! Vai-te poesia! Vem-te poesia! Vai-te poesia! É assim a vida dos poetas!
Um abraço sempre a picar com a poesia

Meg disse...

Caro Moacy,

É isso mesmo, um caba da peste, este nosso grande poeta José Gomes Ferreira,

Um cheiro

Meg disse...

ParadoXos,

Obrigada pelas palavras, Heduardo.

Um abraço

Meg disse...

Ricardo,

É mesmo, com voto e com atitude.
Vamos lá.

Um abraço

Meg disse...

Mar Arável,

Tem de vir aqui mais vezes JGF... Fá-lo-ei.

Um abraço

Meg disse...

Amigo Pata Negra,

Resta-nos gritar, não é?
E poetando.

Um abraço amigo

São disse...

Tenho esta poesia cantada pelo grupo"Negros de Luz, que vi ao vivo no Barreiro há anos.

Bom fim de semana, linda.

Meg disse...

São,

Boas memórias essas.
Um bom fim de semana também para ti, São.

Um beijo

lupussignatus disse...

escultor

de

nuvens