14 de maio de 2009

Ah! Quem me dera outros Maios...

.
.
.
Este post é a minha singela e florida homenagem a um Poeta e Amigo do Recalcitrante
.
Espero que gostem do poema...
.
Quanto às buganvílias... são para quem delas gostar, como eu.
.
.

Maios quentes de flores de pinho e giesta...
Ah! Quem me dera outros maios...
maios de rosas-de-porcelana,
de buganvílias em flor bordejando a avenida.
Maios de calores tépidos, anunciando cacimbos de junho.
Ah! Quem dera outros maios, outras rosas, outros cheiros,
outro tempo-areal-vento,
outro mar, outro sol, um grande girassol florido
numa sangrenta verbena amarela
derramada pela avenida em espreguiçado declínio... Namibiano Ferreira
"Nasci em Angola no Deserto do Namibe. A cidade de Tombwa (Porto Alexandre) foi meu berço dunar e desde logo se estabeleceu um pacto mágico e anímico entre mim, o Povo e o Namibe. Anos volvidos foi no nome da terra que encontrei o meu nome de poeta: Namibiano, pseudónimo de João José Ferreira. Eu sou alguém que tem pudor que lhe chamem poeta, porque dias há que me sinto aquém dos limbos oníricos da poesia. E serei verdadeiramente um Poeta? Desde que me lembro sempre senti a leveza da poesia a latejar dentro de mim, por volta dos 17 anos comecei a escrevê-la. Não faço nem forço, creio que a poesia me acontece, eu fico só esperando... e a cada dia de sol que dorme e acorda fico esperando aquele poema cativo algures num pedaço rendado sem tempo... a Poesia não se faz: ACONTECE. Não tenho obra publicada, participei em 2 colectâneas de poesia: Exposicão em Movimento dos participantes na Eispoesia99, Vila do Conde, publicado pela A Mar Arte de Coimbra a outra, Resist(ir) Assim, foi publicada em 2000 pela Editorial Minerva de Lisboa. Tenho 4 conjuntos de poemas a quererem ser livros: Rota do Sul, Sensações de Maresia, No Vento e no Tempo e Fragmensias." [Namibiano Ferreira]
. Poesia de Namibiano Ferreira http://poesiangolana.blogspot.com/
.
.
.

42 comentários:

Mariazita disse...

Olá, Meg
Dois dias de folga, hein? Estás muito perdulária com o teu tempo :)))

O poema é simplesmente maravilhoso.
Eu também gostaria de um "Maio de calores tépidos" - que tarda em chegar...
Está de parabéns o poeta, e a seguir tu pela óptima ideia de o dares a conhecer.

As buganvílias são lindas! Vou levar...e colocar na minha "Colecção de selos".
Obrigada!

Beijinhos
Mariazita

Agulheta disse...

MEG. Que bonito um poema tão simples e que diz tanto,penso que já tinha lido um poema deste autor,talvez por ter entrado no blog dele? só sei que gostei e as flores? são um encanto.
Beijinho doce.

Lisa

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Hello Meg,
Fizeste-me uma agradavel partida... pedes para comentar o teu poste e nao estava esperando que fosse os meus "Maios". Obrigado pela tua homenagem vale mesmo muito, é uma honra, uma grande honra estar publicado neste fantástico e maravilhoso Recalcitrante que tanta boa Literatura nos trás quase diariamente. É um must visitar-te!!
Sincera e humildemente, o meu muito obrigado.
Com um forte abraco de amizade
Nami

Papoila disse...

Querida Meg:
Belas fotos de buganvílias em flor!
O poema é simplesmente maravilhoso! Quem me dera a mim outros maios destes assim tépidos noutro mar, noutro sol!
Que saudades de África!
Beijos

São disse...

Gostei imenso das flores... gostei imenso do poema

gosto sempre de vir até aqui...

Bom fim de semana.

Zé Povinho disse...

Bons e tépidos ventos...
Flores, gosto de todas.
Abraço do Zé

Decio Bettencourt Mateus disse...

Uma poesia (a de Namibiano Ferreira) que vem justamente ganhado o seu espaço.

Um kandandu

Meg disse...

Mariazita,
Foi bom mas acabou...
Este poema faz-nos recuar no tempo, a outro tempo, a outros Maios...
E o Namibiano é um Poeta que merece ser lido lá no sei blog.

Bom fim de semana.

Um beijo

Meg disse...

Lisa,

Se já conheces o blog do Poeta, não desconheces a sua poesia... este é só mais um bonito poema.
As flores são tuas...
Bom fim de semana

Um beijo

Meg disse...

Amigo e Poeta,

Obrigada pelas tuas palavras, mas é para mim uma alegria ter-te connosco.
E, se quiseres entrar para algum comentário, a casa é tua também.

Um abraço

Meg disse...

Querida Papoila,

Sofremos das mesmas saudades e não esquecemos as cores e os cheiros, que este poema nos transmite.

Um beijo

Meg disse...

São,

Fico feliz que tenhas gostado... eu é que agradeço a vossa companhia aqui.

Bom fim de semana

Um beijo

Meg disse...

Décio, Amigo e Poeta também,

Este espaço é dos amigos, e os poetas, têm um lugar especial, e sempre um momento em particular.

O teu, voltará em breve, aviso-te desde já.

Meg disse...

Amigo Zé,

Saudades imensas, não é?
Como sabemos do que falamos!
Só faltam aqui as acácias.

Bom fim de semana e um abraço

MPS disse...

Cara Meg

Comovente, este pranto do desterrado, embora os meus Maios precisem de estar povoados de giestas e de urzes.

Um abraço

Compulsão Diária disse...

E de flor em flor os meses bebem poesia encarnada na vida.
Belo

utopia das palavras disse...

Belissímo poema, eu também aspiro outros Maios, tão Maios, como a intensidade da cor das buganvílias!

Um beijo, Meg

Pata Negra disse...

Maios quentes de flores de pinho e giesta...




Ah! Quem me dera outros maios...


maios de rosas-de-porcelana,


de buganvílias em flor bordejando a avenida.
Maios de campanha anunciando eleições em junho.
Eu estou bem com os maios, as rosas, os cheiros,as areias e os ventos,
Eu estou bem com o mar, o sol, o girassol.
Eu só queria outro governo
nem que para isso eu tivesse de descer a avenida inclinada!
Atirem poesia à cara dos candidatos

Bipede Implume disse...

Querida Meg
Que lindo poema e que lindas buganvílias.
É verdade que este maio nos faz desejar outros maios, sem dúvida.
Já pesquisei o Ferreira Gullar, muito interessante. Sempre aprendendo, aqui.
Beijinhos e bom fim de semana.

Carminda Pinho disse...

Ah! Quem me dera em Maio de 1979.
Nascia a minha primeira flor, o meu primeiro tesouro.;)

Bonito o poema do Namibiano.

Beijinhos, Meg.

Sonia Schmorantz disse...

Poema lindo, mas as imagens....maravilhosas.
beijo e bom final de semana

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.

(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl.

Meg disse...

Querida MPS

Estes, do poema, são os Maios das minhas memórias de infância e juventude, aqueles que ficam para sempre.
Mas as urzes e as giestas também me falam de tempos em que me "perdia" pela serra da Freita.

Um abraço amigo

Meg disse...

Compulsão Diária,

E se bebem poesia encarnada da vida... é uma maravilha.

Um beijo

Meg disse...

Utopia das Palavras

Ausenda,

E esses Maios para uns não chegam, para outros não voltam.

Beijinho

Meg disse...

Amigo Pata-Negra,

Tu só querias outro governo
nem que para isso tivesses de descer a avenida inclinada!

Tantos de nós, meu amigo!

Um abraço

Meg disse...

Isabel,

O Namibiano é um amigo e um Poeta que trarei aqui mais vezes... pelos seus poemas e pelas memórias de Angola que eles me trazem.
E as biganvílias são tuas.

Um beijo

Meg disse...

Carminda,

Também tive dois Maios... uns anos antes de ti... e um Junho, ahaha!!
´
Mas ainda bem que o poema do Nami, te trouxe essas boas memórias.

Beijo e saudades

Meg disse...

Sonia,

Fico feliz por teres gostado do poema... e as buganvílias, ofereço-tas também.

Um beijo

Meg disse...

Uma Página para Dois,

Muito oportuna e verdadeira essa reflexão do Charles Chaplin.
Precisamos mais de humildade que de máquinas...

Bom fim de semana, Eduardo.

Um abraço

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Meus caros leitores e leitoras, querida Meg:

Fico sensibilizado que a minha modesta poesia vos tenha de uma ou de outra maneira trazido memórias e lembrancas de outros tempos, por certo felizes, as saudades só tem sentido se nos trouxerem risos aos lábios...
Até mesmo quando o poema apela para outro governo é importante e é isto que é a POESIA, a liberdade de cada um interiorizar o poema da forma que mais lhe aprouver. Aceito sempre as leituras que os leitores deixam expressas sobre os meus poemas. Nao há nem deve haver espartilhos, barreiras ou grades entre o leitor e o poema. Poesia é um acto de pura LIBERDADE!!!

Pois tambem entendo os maios de urzes, flores de pinho e giestas... mas nao sao esses os maios que me acariciam a alma, porque na diáspora, é assim que o poema comeca, para depois se transformar, se desdobrar numa viagem no tempo.
Abrindo uma excepcao, vou dizer-vos que a inspiracao para este poema foi a cidade do Namibe (ex Mocamedes) onde existe uma longa avenida (do Bonfim), mutatis mutandis, tipo avenida da Liberdade, que está debruada, de ambos os lados, por extensos caramanchoes de buganvilias vermelhas, lindas, vistas do topo da avenida, junto ao tribunal.

Meg, as tuas buganvilias sao lindamente garridas, elas sao uma flor muitas vezes referida na minha poesia, obrigado pelo teu carinho.

Nao posso deixar de referir aqui, entre os comentadores, o meu amigo e poeta, Décio que tem sido um dos grandes apreciadores da minha poética.

A todos o meu muito obrigado, VIVA A POESIA DA LUSOFONIA!!

Amaral disse...

Meg
Que delícia de poema. Adorei! Parabéns ao autor e a si que publicou o poema.
Abraço

tinta permanente disse...

Bonito o poema!
(ainda há bem pouco tempo às buganvílias e às glícinas eu lhes trocava o nome...)abraços!

Meg disse...

Amigo Namibiano,

Obrigada pelas tuas palavras e pelos tais momentos de saudade para uns, de esperança para outros, que nos trouxeste com este poema.

E sobre Poesia prefiro não falar, deixo isso para os Poetas como tu.

Deixo-te um grande abraço

Meg disse...

Amaral,

Em nome do poeta, sou eu que agradeço as tuas palavras.

Um abraço

Meg disse...

Tinta Permanente,

As buganvílias e as glicínias são um "bocadinho" diferentes...:)
Se gostaste do poema, fico feliz.

Um abraço

Marco Ferreira disse...

Não tenho comentado mas tenho passado por aqui.

Abraço

marinheiroaguadoce a navegar

Filoxera disse...

Ai, as buganvílias e essa Angola que tanto quero conhecer!...
Beijos.

romério rômulo disse...

meg:
deixo um abraço fraternal para o
namibiano.
um beijo.
romério

Meg disse...

Marco,

Também eu quase só passo por aqui, nestes últimos dias.
E é com muito gosto que, embora saiba que não comentas poesia, te sinto por cá.

Um abraço amigo

Meg disse...

Filoxera,

Não tive tempo mas já sei que voltaste... fico feliz.

É verdade, Angola tem uma magia especial, minha amiga... se puderes, não deixes de conhecer.

Um beijo para ti

Meg disse...

Romério,

Atrasada como ando, o teu abraço já chegou concerteza ao Reino Unido, ao nosso amigo Namibiano.
E agradeço-te em nome dele, a tua presença aqui, caro Amigo.

Um beijo