29 de junho de 2009

Digo: o amor...

. .
Digo: o amor. Há palavras que parecem sólidas, ao contrário das outras que se desfazem nos dedos Solidão. Ou ainda: medo. As palavras, podemos escolhê-las, metê-las dentro do poema como se fosse uma caixa. Mas não escondê-las. Elas ficam no ar, invisíveis, como se não precisassem dos sons com que as dizemos .
. Agora, o efeito das palavras. A sua rotação na cabeça, e pelas artérias, até ao centro: o coração. Outra palavra com que se diz: o amor. Mas não falo de sinónimos; de resto, há palavras que escondem o contrário do que querem dizer, e só as conhece quem ama, se a vida não o levou por caminhos confusos. . . Amo-te. Também podia dizer: a solidão que te amo, ou o medo de te amar. A partir de uma palavra tudo se pode fazer, numa página, quando o que aí está é um poema. No entanto essas palavras conduzem-me até ti, isto é, fazem-me viver por dentro delas. É por isso que tudo se confunde: o amor, a solidão, o medo, e até a vida, que também é uma palavra. . . Nuno Júdice . in Poemas em voz alta . .
.

47 comentários:

Amaral disse...

Meg
Muito bela escolha a deste poema para alegrar a semana.
Boa semana
Abraço

mdsol disse...

E qu ebem que diz o Nuno Júdice, em boa hora aqui "postado". E a imagem, muito bonita.
:)))

São disse...

Boa escolha, MEg.
Bem hajas!

Maria disse...

Este Poeta mata-me devagarinho (é um dos que).
Excelente. Obrigada, Meg.

Beijinho e muito trabalho...
:))

vbm disse...

Belíssima imagem, Meg!

Faz jus a Júdice e seu
empolgado poema de amor!

beijos,
Vasco

utopia das palavras disse...

Lindo!
O caminho que se traça na palavra, o sentido de dizer amor! Amei!

Beijinho

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Pode "roubar" à vontade!

Eu não me importo. Até gosto!...

Boa semana de sol, para si!

Beijoca

vbm disse...

Recebeste o prémio Lemniscata.

Abraço,
Vasco

lupussignatus disse...

vestida

de chamas

e de cinza


[a palavra-
chave
que nos abre]




*abraço*

Carminda Pinho disse...

É o Nuno Júdice, pois claro!
:)

Beijos, Meg.

Agulheta disse...

Meg! Como sempre uma boa escolha,vou passar a procurar e ler mais sobre o mesmo.
Beijinho fica bem

MPS disse...

Cara Meg

Às vezes, é como se Júdice dissesse que a palavra é que dá a existência às coisas. Quase acredito nisso.

Um grande abraço e obrigada pelas suas palavras

Filoxera disse...

Belo. Quando se ama, tem de se acreditar.
Beijos.

Pata Negra disse...

Não era o Almada-Negreiros - X (lembro-me sempre desta do totobola) que dizia que vivemos no tempo em que todas as palavras já foram ditas?! Então talvez seja melhor não abusarmos delas e vivermos em função das duas ou três que o poema reza.
A minha palavra de hoje é: abraço

vbm disse...

Bem dito, Pata Negra!

Meg disse...

Caro Amaral,

Sou suspeita... para mim NJ é sempre uma boa escolha.

Um abraço

Meg disse...

Mdsol,

Com Nuno Júdice a palavra é rainha.
Gostaste da imagem? Que bom!

Um beijo

Meg disse...

São,

Obrigada pela tua presença , agora que estou "carregada" de trabalho e com tão pouco tempo para vós.

Beijo para ti

Meg disse...

Maria,

Mata-NOS, minha amiga.

Bom fim de semana e um beijo

Meg disse...

Vasco,

Fico feliz com o teu parecer, já que fiz os possíveis para não desmerecer o teu desafio.

Beijo

Meg disse...

Utopia das Palavras

Ausenda,

E Nuno Júdice tem uma maneira muito especial de dizer o AMOR.

Beijo

Meg disse...

Vieira Calado,

Roubei e está na "calha".

E a semana não vai ser de sol, mas de muito, muitíssimo trabalho.

Mas agradeço na mesma.

Um abraço

Meg disse...

Vasco,

Como te hei-de dizer-te como me honra o prémio que me atribuis?
Não sei se o mereço mas agradeço-to do coração.
Só preciso de um tempinho para lhe dar continuidade...

Um beijo

Meg disse...

Vasco,

Como te hei-de dizer-te como me honra o prémio que me atribuis?
Não sei se o mereço mas agradeço-to do coração.
Só preciso de um tempinho para lhe dar continuidade...

Um beijo

Meg disse...

Carminda,

E são tantos os poemas do N.J.que me apetece publicar!

Bom fim de semana.

Um beijo

Meg disse...

Carminda,

E são tantos os poemas do N.J.que me apetece publicar!

Bom fim de semana.

Um beijo

Meg disse...

Lupussignatus,

Obrigada também pela tua presença amiga.

Um abraço

Meg disse...

Lisa,

Tenho a certeza de que vais "amar" Nuno Júdice.

Bom fim de semana.

Um beijo

Meg disse...

Cara MPS,

E enquanto acreditamos que as palavras dão existência às coisas, podemos ser felizes.

Um abraço

Meg disse...

Filoxera,

Essa é uma grande verdade... se não se acredita, o amor é impossível.

Um beijo

Meg disse...

Pata Negra,

Una abusam das palavras outros nem sequer as sabem usar...

Eu fico contigo na escolha.

Um abraço amigo

Meg disse...

vbm

Então estamos de acordo, Vasco!

Bom fim de semana.

Um beijo

Deusa Odoyá disse...

Olá minha amiga Meg...
Não conheço esse autor N.J.
Mas adorei lêr esse poema.
Uma bela escolha.
Vou procurar saber mais sobre ele.
Uma semana de muita paz, amor e luz.
Beijinhos de ternura , da sua amiga.
Regina Coeli.
Fique na paz.

Zé Povinho disse...

O amor dá uma segurança bem sólida a quem por ele é bafejado. Li recentemente uns quantos poemas do autor, o que é curioso dado que leio muito pouco.
Abraço do Zé, também muito atarefado

SILÊNCIO CULPADO disse...

Meg

Excelente também este post.

Quanta coisa se pode dizer com as palavras. Quanta coisa se pode transformar com as palavras. Quantas guerras podem terminar com as palavras e quantas, outras tantas, podem começar.
Quantas alegrias podem terminar com as palavras e quantas tristezas as palavras poderão matar.
Eu tenho medo das palavras. Tanto poder assusta-me e sei quanto as palavras podem magoar.

Abraço

Janaina Amado disse...

Lindíssimo, Meg, eu não conhecia este poema do Nuno. Obrigada pelo presente!

Nydia Bonetti disse...

Também não conhecia este poema Meg. Achei fantástico. Este final é perfeito: tudo se confunde, como a própria vida...
Obrigada por nos trazer estas belezas.
beijos

Menina do Rio disse...

Muito bonito, Meg! Digo que palavras constroem versos, comandam soldados, ensinam a amar.

Um beijo pra ti, querida

duarte disse...

É belo.mas não me ocorrem palavras, só sensações...
abraço do vale

Bipede Implume disse...

Um belo poema sobre as palavras que descrevem emoções, quando há emoções que nos tolhem a palavra.
Beijo de amizade.
Isabel

mjf disse...

Olá!
lindo...

Beijocas
Bom fim de semana

zef disse...

Megamiga!(Fiz palavra nova?)
Este poema é um dos que cultivo: por causa das voltas que as palavras dão. Quando menos julgamos, elas estão onde acham que devem ficar. Nem sempre ficam no lugar que queríamos. É por isso que nem sempre são dóceis, mas elas lá sabem!
Um abraço

Meg disse...

MEUS QUERIDOS AMIGOS E LEITORES, ESTOU MAIS UMA VEZ SEM INTERNET.
LOGO QUE O PROBLEMA ESTEJA RESOLVIDO, VOLTAREI PARA RESPONDER AOS VOSSOS COMENTÁRIOS.
OBRIGADA.

MEG

lua prateada disse...

Bem minha amiga Meg...é verdade que o poema não é teu mas....quanto a mim quem sabe esse conteúdo não te pertence de igual modo???.
Beijnho prateado com carinh

SOL

Mar Arável disse...

Boa memória

lili laranjo disse...

Fascinada com o Blog...



Hoje


Hoje, é mais um dia.
Mais um que vem e que vai
E amanhã o dia amanhece de novo
Mas… igual a tantos outros…

Esperamos com ansiedade
Que o dia mude rapidamente
E se transforme em algo diferente
E em que nós possamos sentir essa diferença…

Diferença em tudo que nos rodeia
Em tudo que existe à nossa volta…
E consigamos nessa diferença…
Sermos sempre iguais…
E sermos sempre… mais nós…


29/1/05
Lili Laranjo

Meg disse...

MEUS AMIGOS,

CONTINUO SEM COMPUTADOR...

ESPERO VOLTAR EM BREVE.

UM ABRAÇO A TODOS E...

MUITAS SAUDADES.

Meg