14 de junho de 2009

Confidência, de Mia Couto

. .

Diz o meu nome
pronuncia-o
como se as sílabas te queimassem os lábios
sopra-o com suavidade
para que o escuro apeteça
para que se desatem os teus cabelos
para que aconteça
.
Porque eu cresço para ti
sou eu dentro de ti
que bebe a última gota
e te conduzo a um lugar
sem tempo nem contorno
.
Porque apenas para os teus olhos
sou gesto e cor
e dentro de ti
me recolho ferido
exausto dos combates
em que a mim próprio me venci
.
Porque a minha mão infatigável
procura o interior e o avesso
da aparência
porque o tempo em que vivo
morre de ser ontem
e é urgente inventar
outra maneira de navegar
outro rumo outro pulsar
para dar esperança aos portos
que aguardam pensativos
.
No húmido centro da noite
diz o meu nome
como se eu te fosse estranho
como se fosse intruso
para que eu mesmo me desconheça
e me sobressalte
quando suavemente
pronunciares o meu nome
.
.
Mia Couto
.
.

40 comentários:

Pata Negra disse...

Pois é, com a idade, quantas vezes nos esquecemos do nome das pessoas com quem vivemos. Aconteceu-me esta noite:
- Diz o teu nome, amor!
- Aquela em que pensas agora...
- Maria de Lurdes era a rata da tua orquestra!
Isto para dizer que o Mia só mantém o estado de poesia porque não vive no estado português! Em Portugal a poesia está adiada tal qual o Verão nas montanhas cobertas de neve!
Meg, isto é só a gente a falar. Costumo ler poesia?! Sim, no recall cri não sei quantos.
Um abraço métrico

Filoxera disse...

Adorei.
Aliás, copiei e repassei.
Beijos.

Janaina Amado disse...

Meg,não conhecia este poema do Mia Couto, não o sabia poeta: só conheço (e adoro) sua prosa. De onde é?A braços!
PS - Colo de neta deve ser maravilhoso!
PS2 - Envie-me p.f. o seu endereço (para o e-mail do blog), que terei prazer em lhe enviar um de meus livros.

padeirimha disse...

Também ainda não tinha lido poesia de Mia Couto.

Amaral disse...

Meg
Belíssimo o poema (e a foto muito sugestiva). Outra coisa não era de esperar deste moçambicano. Parabéns ao Mia Couto e a ti pela escolha.
Abraço

Agulheta disse...

Meg! Sempre nos brilhas com poesia do Mia Couto!gosto de ler os seus poemas,mas encontro muito pouco,por menos aqui onde moro.A foto bem sugestiva para as letras.
Beijinho e boa semana.

Lisa

O Guardião disse...

O Mia não cessa de me surpreender, agora no campo da poesia.
Cumps

Peter disse...

Gosto sempre de ler Mia Couto, embora prefira a sua prosa.

Boa Semana!

Mariazita disse...

Boa noite, Meg
Alegra-me saber que estás de novo mais disponível para o "nosso" convívio...
Sabes que eu sou fã de Mia Couto.
Ainda há dias comprei um livro dele - "E se Obama fosse africano? e outras intervenções" - que ainda não li porque estava a ler outro, que está prestes a acabar.
Portanto, eu dizer que o poema é belíssimo...é só a confirmação de que gosto muito dele.
Foi uma óptima escolha.

Desejo-te uma noite feliz.

Um beijo
Mariazita

Meg disse...

Pata Negra,

A poesia está adiada mas não percamos a esperança de que ela volte...
E como isto é só a gente a falar, também te sinto um poeta disfarçado, quem sabe adiado...
E gosto.

Um abraço grande

Meg disse...

Filoxera,

Ainda bem... fizeste muito bem.

Um beijo

Meg disse...

Janaína,

Mia Couto é realmente mais conhecido pela sua prosa mas também tem poemas muito bonitos.
Se quiseres saber mais sobre ele, aqui tens um endereço.

http://lugardaspalavras.no.sapo.pt/prosa/mia_couto.htm

Fico muito grata pela tua oferta que vou aceitar com muito gosto... vou-te enviar o meu endereço.

Um beijo, Janaína!

Meg disse...

Padeirinha,

É, há muitas pessoas que não sabem da poesia do Mia Couto... mas se gostaste, tanto melhor, minha amiga.

Um abraço

Meg disse...

Amigoa Amaral,

E a ti o meu obrigada pelas tuas palavras.

Um abraço

Meg disse...

Lisa,

Mia Couto, para mim, é prosa e poesia... esta não tão divulgada, é verdade.
Ainda bem que gostaste.

Um beijo

Meg disse...

Guardião,

Se para ti também foi surpresa, fico feliz por ter publicado mais este belo poema do Mia...
Virão mais, sem dúvida.

Um abraço

Meg disse...

Peter,

É natural, até por aquilo que já se disse até aqui... a poesia de Mia Couto é praticamente desconhecida.

Um abraço

Meg disse...

Mariazita,

Pois até ao fim deste mês tenho um pouco mais de disponibilidade, mas depois em Julho e Agosto voltam os dias de muito trabalho, sem horas e que exige uma disponibilidade quase total entre as 10 e as 24h.

Quanto ao Mia, vais gostar muito do livro que compraste... é uma reflexão fantástica e acutilante.

Um beijo para ti

Carminda Pinho disse...

Meg,
como sabes, aprecio muito a prosa e os versos de Mia Couto.
Este poema tão bonito, vem confirmar o porquê.

Beijos

mdsol disse...

Meg
Tudo muito bonito. A imagem e as palavras do meu amado Mia Couto.
Um beijinho

:)))

o que me vier à real gana disse...

Olá Meg, boa noite!

Aqui é bom. Parabéns!

Excelente poema de Mia Couto

De Amor e de Terra disse...

Belíssimo Meg!
Não conhecia...obrigada pela partilha, pelas palavras lá em casa.
Deixo-te com uma palavra cara ao meu coração:-AMIZADE!
E assim te chamo.
Bj.

Maria Mamede

utopia das palavras disse...

De Mia Couto ainda só li a sua prosa, mas este poema lindo aguçou-me a curiosidade!
Vou ter que ler!

Obrigada e beijos

lua prateada disse...

"No húmido centro da noite
diz o meu nome"
Está maravilhosamente belo, cheio de um sentimento tão grande e tão lindo.
Obrigada por poder ter tido o previlégio de te ter conhecido.
Beijinho prateado com carinho

SOL

Meg disse...

Carminda,

Somos duas admiradoras do Mia, eu sei... este é só mais um dos seus mais bonitos poemas.
E a correr, te deixo

Um beijo

Meg disse...

Sol,

Fico feliz por te saber também uma apaixonada pelo Mia.

Beijo grande

Meg disse...

O que me vier à real gana,

Mas que nome curioso!
Bem-vinda(o) a este espaço, e espero que goste.
Muito obrigada pela (primeira) visita.

Um abraço

Meg disse...

Querida Maria,

Obrigada pelas palavras e pela tua visita sempre amiga.

Um beijo

Meg disse...

Utopia das palavras.

Ausenda,

Não deixes de conhecer a poesia de Mia Couto... vais gostar com toda a certeza.

Um beijo

Meg disse...

Lua prateada,

A inversa é completamente verdadeira... o acaso pode ser surpreendente, minha amiga.
Obrigada pelas palavras, Sol.

Um beijo

bettips disse...

Mia inventa as palavras, adoro as suas invenções. Nesta poesia, inventaste-lhe tu o sentido, com o quadro de leveza que sugere um nome, a relembrar.
Bjinho

NAMIBIANO FERREIRA disse...

LINDA A IMAGEM QUE ACOMPANHA UM EXCELENTE E BELÍSSIMO POEMA.
ABRACOS

Bipede Implume disse...

Está um calor quase africano, mas chego aqui e é o oásis.
Também venho dizer-te que tens um prémio no Com Calma.
Beijinhos.

duarte disse...

COMO É BOM SENTIR-NOS REVISITADOS...
ABRAÇO DO VALE (AINDA EM OBRAS)

Moacy Cirne disse...

Conheço pouco a poesia de Mia Couto. Aliás, praticamente não a conhecia. Gostei do que li.

Um abraço.

Meg disse...

Querida Bettips,

E assim me encontro em Mia Couto, é verdade.
Obrigada pelas tuas palavras sempre amigas.

Um beijo

Meg disse...

Caro Nami,

Mia Couto é um dos nossos, mas, além disso é um excelente Poeta, além do prosador que todos reconhecem.

Um abraço

Meg disse...

Isabel,

Um tempo que torra e que torna mais penosa esta época de muito trabalho que se aproxima...
E como te agradeço mais este gesto de carinho, Isabel!
Um bom fim de semana.

Um beijo

Meg disse...

Duarte,

Como é bom saber-te já por perto...agora que eu vou ser obrigada a andar mais arredada do computador, meu caro. O trabalho assim mo exige durante os próximos meses.
Mas vou aparecendo sempre que possa.

Um abraço

Meg disse...

Caríssimo Moacy,

É sempre um prazer e uma honra a sua visita e principalmente suas palavras.
Tenho passado no Balaio mas sempre voando...por falta de tempo, meu caro.
Um abraço