1 de junho de 2009

Apenas um poema singelo...

. .

Meninos, de Portinari .
. .
O Menino Grande
Também eu, também eu. joguei às escondidas, fiz baloiços, tive bolas, berlindes, papagaios, automóveis de corda, cavalinhos… Depois cresci, tornei-me do tamanho que hoje tenho; os brinquedos perdi-os, os meus bibes deixaram de servir-me. Mas nem tudo se foi: ficou-me, dos tempos de menino esta alegria ingénua perante as coisas novas e esta vontade de brincar.
Vida!, não me venhas roubar o meu tesoiro: não te importes que eu ria, que eu salte como dantes. E se eu riscar os muros ou quebrar algum vidro ralha, ralha comigo, mas de manso… (Eu tinha um bibe azul… Tinha berlindes, tinha bolas, cavalos, papagaios… A minha Mãe ralhava assim como quem beija… E quantas vezes eu, só pra ouvi-la ralhar, parti os vidros da janela e desenhei bonecos na parede…)
Vida!, ralha também, ralha, se eu te fizer maldades, mas de manso, como se fosse ainda a minha Mãe…
[Sebastião da Gama]
.
.
.
.

45 comentários:

São disse...

Sebastião da Gama conservou sempre um olhar de menino sobre a Terra.
Sabes que ainda trabalhei com Joana Luísa, sua viuva?
Uma feliz semana, Companheira.

Carminda Pinho disse...

Este poema singelo, é lindo Meg.
As obras de arte que escolheste, tornam-no ainda mais belo.
Excelente post, Meg.
Ainda bem que passei agora por aqui...:)

Beijos

Chá das Cinco disse...

Querida Meg adorei o teu comentário e agradeço o teu carinho.
Sempre estarei aqui te prestigiando.
Adoro os teus post.
Sinta-se abraçada
Gemária Sampaio

Amaral disse...

Meg
Bela escolha para este dia tão singelo. "O melhor do mundo são as crianças".
Boa semana
Abraço

utopia das palavras disse...

Eu leio Sebastião da Gama de mansinho...adoro a sua poesia sem rodeios!

Magnífica a unicidade das imagens com o poema...um pleno!

Beijinho

Agulheta disse...

Meg.Gosto dos poemas de Sabastião da Gama! este é delicioso e singelo,e numa bela ilustração das telas de Portinari,adorei ler e sentir este desejo de criança.
Beijinho fica bem

Pata Negra disse...

As mães até quando ralham são bonitas. Muito me ralhou a minha mãe, valeu-lhe pouco, nunca conseguirei ser uma mãe como ela!
Um abraço sem gelo num poema singelo

Meg disse...

São,

Sebastião da Gama sabe falar como e para as crianças. E é dessa simplicidade que eu gosto.
Um homem que foi um exemplo.

Um beijo para ti, São!

Meg disse...

Carminda,

Mas que linda a menina! Gosto do novo visual.:)
Às vezes as coisas mais simples são aquelas que mais encanto trazem à vida, minha amiga.
E Sebastião da Gama dá-nos palavras simples, mas belas.

Um beijo

Meg disse...

Chá das Cinco,

Obrigada pelas tuas palavras, e por mais esta visita...
É sempre um prazer receber-te aqui.

Um beijo

Meg disse...

Amigo Amaral,

Essa é uma verdade que não tem contestação, mas temos de lutar muito para as fazer realmente felizes, e só depois, competitivas.

Um abraço

Meg disse...

Utopia das palavras,

Ausenda,

Fico feliz por teres gostado do poema e também dos Meninos, do Portinari.
Quem nos dera que estas ainda fossem as brincadeiras das nossas crianças.

Um beijo

Meg disse...

Lisa,

Eu acho que Sebastião da Gama é um exemplo... com palavras simples fala de coisas sérias. Como apelar
à Vida.

Um beijo para ti

Meg disse...

Amigo Pata Negra,

Gostei muito de te ver por aqui...já tinha saudades.
As tuas palavras são sempre um estímulo.

E gostei mais ainda do abraço sem gelo.

Um igual para ti.

O Guardião disse...

No Dia da Criança uma escolha perfeita.
Cumps

Marco Ferreira disse...

Feliz dia da criança (há uma criança dentro de cada um de nós).

Boa semana.

Abraço

marinheiroaguadoce a navegar

Bipede Implume disse...

Gosto tanto de Sebastião da Gama e este poema é tão terno.Lindo mesmo.
beijinhos e boa semana.
A Janaína é um encanto, vais gostar dela.
Mais beijinhos.

Nydia Bonetti disse...

Esta alegria ingênua... Não deverímos perde-la jamais.
Que belo post Meg.
Um beijo

Meg disse...

Guardião,

Uma simples homenagem num Dia que se deveria repetir por todos os dias do ano.

Um abraço

Meg disse...

Marco,

É verdade, e mal daqueles que já a perderam.
Um beijo também para a tua princesa, que, estou certa, terá todos os Dias do ano.

Um abraço

Meg disse...

Isabel,

É um poema ternurento, Sebastião da Gama é assim mesmo.
Por falta de tempo tenho andado afastada do Verso & Prosa, onde conheci a Janaína.
Agora fiquei fã do blog dela, que não conhecia... obrigada, Isabel!

Um beijo

Meg disse...

Nydia,

Por mais que tentemos preservar esta ingenuidade, a vida se encarrega de no-la rooubar... de todas as formas.

Um beijo

anamarta disse...

Singelo mas lindo este poema!
um beijo para ti.

Peter disse...

Belíssimo poema que me recorda a minha meninice.
Como tudo é diferente hoje, quando vejo os meus netos metidos em casa às voltas com os jogos dos telemóveis e os gamebox, enquanto eu perco o meu tempo com o PC, em vez de me dedicar mais à leitura.

Boa semana!

Déia disse...

Lindo poema! Quero voltar a ser criança, e ter aquele olhar de novidade! Assim, como o que fiquei ao ler seu blog! bjs

Mariazita disse...

Começo pelos "Meninos" de Portinar, que acho lindos!

O poema singelo, como lhe chamas, é lindíssimo. Não sei se é do dia (noite)ou de outra coisa qualquer...mas comoveu-me.
Isto de partir os vidros só para ouvir a mãe ralhar, porque ela "ralha assim como quem beija" é comovente...
Foi uma "singela" mas linda homenagem, amiga.
Parabéns.

Um beijo
Mariazita

Meg disse...

Anamarta,

É singelo como deveria ser a vida das crianças, minha amiga.

Um beijo

Meg disse...

Peter,

Faço minhas as tuas palavras... é exactamente assim por aqui.
Restam-nos as memórias.

Um abraço

Meg disse...

Déia,

Muito obrigada pela sua visita e seja bem vinda a este espaço onde espero se sinta bem.
Obrigada pelas palavras, e volte sempre, Déia.

Um abraço

Meg disse...

Mariazita,

Estes Meninos trazem-nos lembranças de outros tempos em que as crianças "brincavam". Creio que é isso que comove... principalmente quando vemos como são "formatadas" nos tempos modernos.

Um beijo para ti

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Os poemas singelos sao belos também (e este é particularmente belo!!!) e nao raras vezes tambem nos trazem mensagens profundas.

Obrigado por nos trazeres poetas que já nao lemos há tanto tempo.
Abraco e amizade
Nami

Filoxera disse...

Muito bonito.
Para mim, o Dia da Crianç tem ainda mais significado, como dá para ver no EQ:
Beijos.

Vieira Calado disse...

Singelo, mas bonito!

Beijoca para si.

Maria Faia disse...

Terno poema este de Sebastião da Gama.
"(...) ficou-me,
dos tempos de menino
esta alegria ingénua
perante as coisas novas
e esta vontade de brincar."
Que bom amiga, quando fica e permanece em nós a alegria ingénua dos tempos de nossa meninice....
Adorei a bela forma de escolheste para comemoração do Dia da Criança.
Que rodos os dias sejam dias da criança!

Beijo amigo,
Maria Faia

Rui Figueiredo Vieira disse...

Simplesmente perfeito...

Meg disse...

Amigo Nami,

E é de coisas singelas que se tira alguma alguma felicidade, as palavras rebuscadas não fariam sentido num dia da criança.
Obrigada pelas tuas palavras e pela tua visita também...

Um abraço

Meg disse...

Filoxera,

Sei que o teu Dia da Criança é reforçado pelo aniversário da Mafalda.
Não comentei mas passei, correndo, pois neste momento precisava de mais horas no meu dia... que se prolonga até à meia noite.
Por isso peço a compreensão dos amigos. Mas os próximos 3 meses vão ser assim... turismo obriga.
E como queixar-me, quando há tanta gente sem trabalho?

Um beijo para ti,

Meg disse...

Amigo Vieira Calado,

É bonito sim, mas a maior parte das coisas singelas.

Um abraço

Meg disse...

Maria Faia,

Que todos os dias sejam Dias da Criança, é realmente o nosso desejo, mas estamos tão longe disso!!! Basta olhas para os jornais e ver TV.

Um beijo, Maria.

Meg disse...

Rui Figueiredo Vieira,

Seja bem-vindo a este espaço. É com prazer que recebo aqui mais um amigo.
Obrigada pelas palavras.

Um abraço

Luisa disse...

Não me lembrava nada deste poema do Sebastião da Gama, poeta que tanto aprecio. Também os meninos de Portinari são encantadores. Boas escolhas!

pin gente disse...

tão ternurento...
eu quero ser criança para sempre!
beijinhos
luísa

Meg disse...

Luisa,

Que bom ver-te por cá!
O poema é realmente muito bonito e leva-nos para tempos que não voltam. São memórias muito bonitas.

Um beijo

Meg disse...

Pin,

Pois temos de guardar para sempre a criança que cada um tem dentro de si...
Também gostei de te "rever".

Um beijo

lupussignatus disse...

o solstício

da

ternura