24 de abril de 2008

Canto do Nascimento

.
.
.
EU...ANA PAULA TAVARES...
.
.
«De onde eu venho nascem os rios
nos nervos da terra
correm certos para o mar ou
perdem-se noutros lugares do tempo
sem que ninguém os detenha ...
Venho de muitos rios e um só mar
o Atlântico
suas cores secretas
a música erudita da praia
a espuma lenta das redes
de onde eu venho há lá e cá.
.
.

Maternidade, de Bertina Lopes

CANTO DO NASCIMENTOAceso está o fogo
prontas as mãos
o dia parou a sua lenta marcha
de mergulhar na noite.


As mãos criam na água
uma pele nova

panos brancos
uma panela a ferver
mais a faca de cortar

Uma dor fina
a marcar os intervalos de tempo
vinte cabaças deleite
que o vento trabalha manteiga

a lua pousada na pedra de afiar


Uma mulher oferece à noite
o silêncio aberto
de um grito
sem som nem gesto
apenas o silêncio aberto assim ao grito
solto ao intervalo das lágrimas

As velhas desfiam uma lenta memória
que acende a noite de palavras
depois aquecem as mãos de semear fogueiras


Uma mulher arde
no fogo de uma dor fria
igual a todas as dores
maior que todas as dores.
Esta mulher arde
no meio da noite perdida
colhendo o rio

enquanto as crianças dormem
seus pequenos sonhos de leite.
.
.[Ana Paula Tavares]
.
.
(O lago da lua)
.
.
.

««««««««<>»»»»»»»»»
.
.
.


Ana Paula Tavares nasceu na Huíla, no Sul de Angola, em 1952.
É historiadora com o grau de Mestre em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa.
Em Angola publicou "Ritos de Passagem" (poemas), UEA, em 1985.
Em Cabo Verde, na cidade da Praia, "O Sangue da Buganvília" em 1998.
Publica em 1999 O Lago da Lua,(poemas), seguido de "Dizes-me Coisas Amargas como os Frutos" (poemas) em 2001. Esta obra foi galardoada com o Prémio Mário António de Poesia em 2004, da Fundação Calouste Gulbenkian. Publicou em 2003 "Ex-Votos", (poemas), e em 2004 "A Cabeça de Salomé ", (crónicas).
Tem participação com poesia e prosa em várias antologias em Portugal, Brasil, França, Alemanha, Espanha.
Publicou alguns ensaios sobre História de Angola. E tanto mais...!!!
.
.
.
Mais uma autora a ler e conhecer porque há muito mais a saber...
Mais um obrigada a todas (os) meus amigos pela paciência...
Meg
.
.
.

33 comentários:

O Guardião disse...

Obrigado por divulgares no teu espaço autores, para mim, absolutamente desconhecidos, que no entanto têm qualidades que talvez poucos tenham apreciado.
Bfds alargado e em Liberdade
Cumps

A paginadora disse...

ufff...
Até que enfim que te achei amiga!
Já começava a desesperar. Teimava em pôr um "a" atrás de recalcitrante e nunca mais aqui chegava para te deixar um grande beijinho e desejar um bom feriado amanhã. Gosto muito deste teu novo cantinho mas ainda não tive tempo de o desfrutar melhor. Para isso volto amanhã. Um beijo e feliz 25 de Abril!

A paginadora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carminda Pinho disse...

Meg,
neste lindo e calmo espaço dás-nos a conhecer mais uma excelente poeta, a julgar por estas duas poesias que postaste.
Vir aqui, é aumentar o meu conhecimento em relação aos autores que nos apresentas e, às suas obras.
Por isso, o meu obrigada.

Beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Meg, o teu novo espaço está muito bonito, a divulgação de novos autores é muito gratificante para nós e penso que também será
para a escritora...
Gostei muito e desconhecia por completo esta escritora... Obrigada Meg!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Maria disse...

Obrigada por me dares a conhecer esta poeta, Meg.
E logo hoje, dia em que a poesia está na rua.....

Um beijo para ti, e um cravo da cor que tu quiseres...

meg disse...

Amigo Guardião,
Temos muito mais poesia que a "comercial", gente com uma cultura invejável e pouco comum, se mantém num anonimato muito próprio da terrinha em que vivemos.
Aqui, os famosos são umas 2coisas" que dão pelos nomes de C.B ou Lili C.

Um abraço e gostei muito da tua visita.
UM ABRAÇO

Amaral disse...

Meg
Mais dois belos poemas, com ilustração condizente muito bem seleccinada e a divulgação de mais uma poetisa.
Continue! Bom fim-de-semana
Abraço

São disse...

Bela anlogia entre o parto que as mulheres sofrem e o parto que Portugal sofreu para termos Liberdade!
Feliz fim de semana alargado.

bettips disse...

Obrigada, Meg.
Pelo que te vou conhecendo, por ti sabendo.
Bj

Carla disse...

amiga
mais uma descoberta que faço aqui no teu canto, obrigada
bom fim de semana
beijos

Menina do Rio disse...

Ora Meg! Tu não podes faltar aqi entre nós.

Um beijinho é o´timo final de semana

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Fico maravilhada com esta nova casa tão arrumadinha e culturalmente edificante.
Não conhecia esta autora e acho excelente conhecer quem tanto tem para dar e não é conhecido.
Ainda bem que há uma MEG para nos mostrar este mundo maravilhoso de sabedoria.
Abraço

zef disse...

Boa noite, Meg.
Fico sempre sentimentalão no dia de hoje(oh! já acabou...).
Abraços

Filoxera disse...

Há sempre muito mais a saber. E nós, os teus leitores, agradecemos as indicações.
O Escrito a Quente completou um ano no dia da liberdade. Uma fatia do bolo é tua.
Beijos.

Odele Souza disse...

Meg,

Passei para aprendi um pouco contigo. E com este teu post não poderia ser diferente. Aprende-se.

Um beijo.

TINTA PERMANENTE disse...

Uma forma nova (não conhecia a autora) de mitigar as saudades de lá!...

abraços!

Savonarola disse...

Não conhecia, e é pena... Só tu para nos dares a conhecer estas autoras, tão interessantes.
Abraços anarquistas

Maria Faia disse...

Amiga,

Venho trazer-te um beijo amigo.

Maria Faia

Isabel-F. disse...

Não conhecia esta autora ...

gostei dos poemas ... são lindos


bjs

Luisa disse...

Belíssimos versos! Temos de conhecer melhor estes grandes Poetas.

Germano V. Xavier disse...

Olá, Meg!

Passei por aqui...
Gostei do blog...

Abraços pernambucanbaianos...

Germano
www.clubedecarteado.blogspot.com

Peter disse...

Não é "paciência" é puro prazer ler esta poetiza angolana.
Venho agradecer a frequência com que me visitas e a tua compreensão para com a menor frequência das minhas.

Que passes um bom Domingo.

Agulheta disse...

Meg.
Nos dás a conhecer,novos poemas e poetas que não conhecia! os espaço cria forma,as fotos a conduzir adorei.
Beijinho e BFS Lisa

A paginadora disse...

Querida Meg
Como sempre mais um belíssímo post que divulga nomes e obras para mim desconhecidas.
É do coração que te desejo a continuação de um bom trabalho, a que aliás já nos habituaste.
Um beijo para ti

A paginadora disse...

Querida Meg
Como sempre mais um belíssímo post que divulga nomes e obras para mim desconhecidas.
É do coração que te desejo a continuação de um bom trabalho, a que aliás já nos habituaste.
Um beijo para ti

jasmimdomeuquintal disse...

Mestre, como faço para me tornar um sábio?
- Boas escolhas .
- Mas como fazer boas escolhas?
- Experiência.
- E como adquirir experiência, mestre?
- Más escolhas.
Um beijinho e tudo de bom.

anamarta disse...

Olá Meg
Estes dias tenho estado afastada, pois tenho andado a comemorar Abril! mais uma vez nos trazes poemas belíssimos! e "O Canto do Nascimento" para mim, hoje diz muito! pois é o aniversário da minha filhota! (19 aninhos)
Obrigada
beijo-te com carinho

Izelda Maia disse...

Meg querida,
obrigada por nos apresentar esta excelente poeta, que até então, eu não conhecia seus poemas.

Quero parabeniza pelo novo espaço, está muito aconchegante, adorei...

Amiga, estaremos te apoiando sempre.

Grande e carinhoso abraço.
Feliz domingo!!!

f@ disse...

Tudo o que nasce dos "nervos" da terra e corre para o mar... certo ou incerto deixa por onde passa um colorido puro que nenhuma "rede" enreda... gostei mto do blog, dos textos e das imagens...
beijinhos das nuvens

lupussignatus disse...

um rio

de fogo

brota

das

entranhas

do corpo



Poesia em brasa.

Obrigado pela partilha.

Abraço.

MPS disse...

Cara Meg

Não tenho nenhuma obra de Ana Paula Tavares, mas lembro-me de, na última feira do livro de Lisboa, ter ficado deslumbrada com um livro que folheei e que se chamava "Dizes-me coisas amargas como os frutos". Decorei o título, por ser extremamente sugestivo e para comprar a obra na primeira oportunidade. Ainda não houve tal...

Registei (e no poema que publicou confirmo-o) a belíssima economia da palavra e o apelo constante aos sentidos, tão poderosas são as imagens.

Já a pintora Bertina Lopes era-me totalmente desconhecida, por isso agradeço-lhe que ma tivesse apresentado, ainda por cima em enquadramento perfeito com o poema.

Um abraço

Sei que existes disse...

Aqui está uma nova apresentação de alguém que não conhecia bem. Mais uma vez, obrigada pela partilha de informação.
Beijocas grandes