13 de outubro de 2008

Se eu pudesse...

. .
"Yo y Carmen", de Ema Berta
.
.
.
Se eu pudesse inventar uma rosácea Profetizar as cores que renasçam do amor E os antepassados cantarem seus saberes Se eu pudesse com a razão serena E o coração vibrando como uma guitarra Consertar a luz que gera a eloquência Se eu pudesse com minhas mãos rudes Aliviar o mar as estrelas e todos os seres Exilando as arrogâncias e os fanatismos Se eu pudesse enterrar fundo o desassossego Se eu pudesse emendar as distâncias Com ternura acariciar os cabelos do mundo Anular a forquilha do poder que viola tudo Se eu pudesse desfazer o cuspo da cupidez E libertar os uivos e os gemidos reprimidos Se eu pudesse;
Mas não sozinha...
.
.
.
«««««o»»»»»
.
.
.
Ema Berta (n. Sintra, 13 de Fevereiro de 1944), é uma das mais importantes pintoras portuguesas contemporâneas. Exilada e esquecida em Paris, com uma obra largamente ignorada e desdenhada pela crítica e pelo establishment, em Portugal.
Uma obra que exala angústias e sofrimentos como nenhuma outra no nosso país.[...] Licenciou-se em Artes Plásticas e Pintura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e fez parte da direcção da Sociedade Nacional de Belas Artes em Lisboa.
Na Fundação Ricardo do Espírito Santo foi professora de desenho.
Ema Berta, vive actualmente em Paris.
.
.
.
.

41 comentários:

MPS disse...

Cara Meg

É ideia minha, ou já tinhamos visto uma pintura de Ema Berta a ilustrar outro artigo? Refiro-me àquela em que uma criança está envolta em panos.

Agora oferece-nos ema Berta sob a forma de poesia. Notável, particularmente o desenlace: se eu pudesse... mas não sozinha! é toda uma filosofia de vida, porque o mundo vale a pena se for transformado com os outros.

Um abraço

Agulheta disse...

Meg. Aqui esta um bom trabalho para dar a conhecer,a mulher e a pintora; pois os blogs tem esta missão partilhar e informar,e gostei como sempre das coisas que publicas amiga.
Beijinho e boa semana Lisa

O Guardião disse...

Não conhecia, confesso, mas nunca é tarde para conhecer, desde que alguém se lembre, como é o caso, de nos oferecer autores diversos e alguns até menos badalados.
Cumps

Carminda Pinho disse...

"Se eu pudesse...mas não sózinha".
Concordo plenamente.

Boa escolha a tua e, como sempre, surpreendente.

Beijos

Peter disse...

É capaz de conhecer a minha amiga e pintora, com exposições em Portugal, Inês Barahona.

"Se eu pudesse com minhas mãos rudes
Aliviar o mar as estrelas e todos os seres
Exilando as arrogâncias e os fanatismos"

Amaral disse...

Meg
Gostei muito deste poema e certamente "não só eu sozinho".
Boa semana
Abraço

Meg disse...

Cara MPS,
É verdade, esta não é a primeira vez que trago Ema Berta. O que viu foi uma tela a ilustrar um texto.
Desta vez trago a própria, numa poesia e na respectiva ilustração.
Pena é que a sua vastíssima obra seja praticamente desconhecida ou simplesmente ignorada.

Um abraço

Meg disse...

Agulheta,
Lisa, é essa a minha intenção, recordar os mais esquecidos, sempre que possível.

Um abraço

Meg disse...

Caro Guardião,
Neste caso, não só menos badalados como quase lamentavelmente ignorados. Uma obra muito vasta de uma pintora e poetisa também.
Um abraço

Meg disse...

Carminda,

Seria necessária a força de todos para poder mudar tanta coisa!
É a realidade.
E a pintora e poetisa sabe-o.

Um abraço

Meg disse...

Peter,
Inês Barahona, o nome não me é estranho, será Inês Barahona de Almeida?
Nós não podemos nada sozinhos, caro Peter.

Um abraço

Meg disse...

Caro Amaral,
Espero que tenga gostado da ilustração, obra da autora do poema... uma pintora "maldita" (digo eu).

Um abraço

Sei que existes disse...

Ai se eu pudesse...
Aqui está outra grande artista que eu desconhecia.
Obrigada mais uma vez pela partilha de informação.
Beijocas grandes

Moacy Cirne disse...

As cores vivas de Ema Berta - que eu desconhecia, embora bvoc~e já a tivesse publicado - são surpreendentes de forma positiva. Gostei/senti. Beijos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Eu escrevi aqui um comentário que não encontro e tenho pena porque me sentia inspirada.
Eu dizia que tu és especial em descobrir talentos. Não daqueles talentos que têm uma máquina por detrás para os tornar maiores mas sim aqueles que são genuinamente aquilo que são.

Ema Berta é especial como especiais são todos os que por aqui têm passado.

Ah, se eu pudesse, Ema Berta, tanta e tanta coisa que não dá para ser sozinha!...

Abraço

Meg disse...

Sei que Existes,

Se o que aqui trago servir para levantar um pouco o véu sobre a vida e obra destes autores, darei o objectivo por alcançado.
Um abraço

Meg disse...

Caro Moacy,
Que bom que você gostou! Já publiquei e hei-de voltar a publicar... é uma das nossas grandes pintoras - esquecida em Paris, onde vive e trabalha.
Um abraço

Meg disse...

Lídia,

Tens razão, aqui não há mercantilismo, há arte e da boa, sem amiguismos, por isso um tanto desdenhada e esquecida. Por isso lhes dou este "milímetro" de espaço.

Um abraço

Zé Povinho disse...

Só há pouco tempo conheci fugazmente Ema Berta, precisamente em Sintra, no dia em que foi transmitido em directo um dos programas de televisão que me recuso a ver. A curiosidade levou-me a saber um pouco mais sobre a sua vida e obra, mas as informações que obtive foram poucas e vagas. Aqui está uma divulgação oportuna, no que me diz respeito pelo menos.
Abraço do Zé

jo disse...

Se eu pudesse também gostaria de ...., mas não só. Um poema vibrante e cheio de inconformismo e que transmite bem a impot~encia que se sente porque somos uma particula impotente do imenso universo.

Betty Branco Martins disse...

.querida Meg





PARABÉNS!!!



por este


EXCELENTE__________trabalho








beijO____C_____carinhO

São disse...

Se nós pudéssemos...quão diferente seria o mundo!
Feliz fim de semana.

Agulheta disse...

Meg.Agradeco visita e as palavras,a estas aqui respondi,mas nunca é demais dizer que supreendes com coisas lindas de se ver e ler.
Beijinho bfs

Carla disse...

A solidão só é boa quando a desejamos...que bela imagem
beijos e bom fim de semana amiga

bettips disse...

Topei em ti, nos sítios que costumamos...
E vim deixar-te um beijo, mulher das causas esquecidas!!!
Olha o teu mar da varanda e pensa: vale a pena, ainda vale a pena revolver o lixo e reciclar o pensamento. Há sempre alguém que diz "não"!

Meg disse...

Amigo Zé,
Talvez um dia faça um post sobre a vida de Ema Berta, porque quanto à obra é tão vasta que difícil é dá-la a conhecer neste espaço. Só mesmo uma pequena mostra.
Um abraço

Meg disse...

Jo
Mesmo que tantos de nós pudéssemos,
contuaríamos a ser uma gota num oceano, infelizmente.

Um abraço

Meg disse...

Betty,
Obrigada pela visita e pelas palavras.

Um abraço

Meg disse...

São,

Essa é a verdade... seria tudo muito diferente, mas nós não podemos...sozinhos.

Um abraço

Meg disse...

Lisa,
Obrigada pelo carinho das palavras.
Um abraço

Meg disse...

Carla,

É verdade, a solidão também pode ser uma boa companhia, sempre que a desejamos.

Um abraço

Meg disse...

Querida Bettips,

Estamos num tempo em que já não basta dizer não... é preciso fazer tanta coisa! Mas sozinhos? Essa é a grande decepção...

Beijos para ti

lupussignatus disse...

a pintura

e a poesia

são uma

indestrutível

força

de mudança

Filoxera disse...

Quem me dera dar uma ajuda...

Moacy Cirne disse...

Oi, Meg, o Balaio de hoje está angolano. E a você muito devo esse renovado interesse pela poesia africana. Um cheiro.

Mariazita disse...

Tantos "se" dizemos ao longo da nossa vida!
Sozinhas, é difícil concretizá-los.
É urgente unir esforços.
Obrigada, amiga, por trazeres ao meu conhecimento uma pintora que, confesso a minha ignorância, eu não conhecia, e que, além disso faz poemas (pelo menos este...) com tanta beleza.
Beijinhos
Mariazita

Meg disse...

Lupussignatus,
Pena é serem tantas vezes esquecidas e até desdenhadas.

Um abraço

Meg disse...

Filoxera,
Todos podemos ajudar, se formos atirando pedras para o charco.

Um abraço

Meg disse...

Meu caro Moacy,

Já fui ver o Balaio e me senti em casa.
A magia de África pelas palavras de três amigos muito estimados.
Bem haja pelo carinho.
Um abraço

Meg disse...

Mariazita,
É uma das nossas grandes pintoras, com uma vasta obra, mas, infelizmente pouco conhecida.
E poetisa também.

Um abraço

Ema Berta disse...

rogerCara Meg,
Obrigada pelo que escreveu sobre mim,
Sempre que queira pode contactar-me.
Um abraço
Ema Berta