8 de junho de 2008

Jovens, Férias e Álcool

.
.
.«««««««<>»»»»»»»
PORQUE ME ESPANTO E ME REVOLTO QUANDO VEJO UM GRUPO DE RAPAZES E RAPARIGAS PORTUGUESES, EMBRIAGADOS ÁS 3 HORAS DA TARDE, DE UM SÁBADO, PRIMEIRO DIA DE UM FIM DE SEMANA PROLONGADO...
.
DEIXO AQUI ESTE TEXTO...
EMBORA DUVIDE QUE SURTA QUALQUER EFEITO
,
.
Woman Absinthe Drinker, de Picasso

"Olhando para trás, vi como a acessibilidade do álcool me fez gostar dele.
Numa geração nascem comparativamente pouco alcoólicos.
E por alcoólico quero dizer um homem cuja química anseia pelo álcool e que o arrasta irresistivelmente para ele.
A grande maioria dos bebedores habituais não só nasceu sem o desejo do álcool, como tem verdadeira repugnância por ele.
Nem a primeira, nem a vigésima, nem a centésima bebida conseguem fazê-los gostar.
Mas aprendem, da mesma maneira que os homens aprendem a fumar; embora seja muito mais fácil aprender a fumar do que aprender a beber.
Aprendem porque o álcool é muito acessível.
A vantagem é que a geração vindoura não terá que carregar esse fardo.
Não tendo acesso ao álcool, não estando predisposta para o álcool, nunca lhe sentirá a falta.
Significará isso que a vida será mais abundante para os rapazes entretanto nascidos e prestes a tornarem-se homens - e para as raparigas nascidas entretanto e prestes a partilhar a vida deles."



Jack London, 1876-1916
in Memórias de um Alcoólico
.
.
..
.
JACK LONDON - breve nota sobre este tema

Memórias de um Alcoólico - John Barleycorn, foi a última obra escrita por Jack London, 3 anos antes da sua morte, e conheceu um sucesso estrondoso.
Sendo autobiográfico, o livro provocou as
mais diversas reacções no público, que tinha de Jack London a imagem de um escritor de sucesso, do herói americano, que agora se revelava escravizado pelo alcoolismo, tendo sido assumido como propaganda antialcoólica por aqueles que na época procuravam proibir o seu consumo nos Estados Unidos.
John Barleycorn é, no entanto, e sobretudo, um dos livros mais surpreendentes acerca da vida e do pensamento do autor.
Escritor de viagens, cada livro de Jack London é o relato de uma luta com a natureza, qualquer que ela seja, interna ou exterior à condição humana.
Nesta sua espantosa autobiografia lacunar – apenas aborda a sua vida quando relacionada com o álcool – o autor reflecte sobre a fraternidade que existe entre os homens.
E o cimento que os une é a bebida, personificada em “John Barleycorn”.
Rui Catalão in «Mil Folhas»
(Público) em 15/12/2001
.
.
.
.
.
.
.
.

48 comentários:

romério rômulo disse...

meg:
veja que não me afastei do blog.
cheguei com o jack london.
meu abraço.
romério

meg disse...

Romério,
eu sei, que você anda sempre por aqui, meu amigo.
Eu, é que vou estar menos por aqui,você sabe que depois de amanhã é Dia de Camões, o seu Camões, feriado nacional.
São umas mini-férias para os portugueses, muito mais trabalho para mim. Mas estou certa que os meus amigos entendem que trabalhar no Sul, aqui, é "obra"!
Mas estarei aqui todos os dias, mas só de dia, até às 5 da tarde, depois, é trabalho até à meia noite.

Um abraço para ti,

samuel disse...

Como quebrar esta realidade em que é "giro" ver pessoas de 14 e 15 anos a cair de bêbados pelos passeios e se organizam viagens e festas em que o único "programa" conhecido é a ingestão de álcool?

Porca da Vila disse...

Na rua onde moro há dois bares que abrem só à meia-noite, e é deprimente ver o estado lastimável em que garotos de 16 ou 17 anos de lá saem às quatro da madrugada. Completamente embriagados, berrando, guinando e vomitando pela rua fora numa agonia confrangedora. Mais triste ainda é ver que as raparigas vão quase sempre em pior estado que os rapazes. Coisa que, por mais que tente, não consigo entender... Como não entendo a polícia que passa de carro, lentamente, que olha, que vê, e que nada faz...

Xi Grande

meg disse...

Samuel,

E se soubesses como é aqui?
Porque dos estrangeiros não falo.
Os ingleses (alguns, sejamos justos) encharcam crianças se 10 anos com cerveja.
Já o vi, fui intervir, a resposta foi simples. O pai vai ao balcão comprar a cerveja e a criança sentada à mesa bebe lado a lado.
E não imaginas como os broncos acham "giro" uma criança "toldada"

A polícia? Ahahahahah!
Bom fim de semana e muitos abreijos

meg disse...

Minha amiga Porca.

Se aí é assim, imagina aqui!
Mas não desisto, chamo a polícia, chateio os donos dos bares, chateio os pais que encharcam as crianças com cerveja.
Este ano não posso fazer isso, sabes porquê?
Porque quem vem doente para casa sou eu.
Bom fim de semana, minha amiga
Um xi grande para ti

Luisa disse...

Como é triste a vida dum alcoólico!!!! E ainda mais triste quando se vê um jovem já dependente desta droga!

A paginadora disse...

Uma pessoa adulta dependente do alcool é lastimável. Eu conheço e tenho pessoas próximas, na família que estão ou já estiveram dominadas pelo vício. Sei o que isso afecta as suas vidas. Umas ficaram inclusivé com a vida familiar totalmente destruída. Ficaram até quase sem os laços familiares que antes eram o seu suporte.
Mas jovens e crianças? Aí já considero um crime, quer sejam os pais a pactuarem com a situação, quer seja a sociedade consumista e que faz vista grossa a tal catástrofe. Há que estar atento desde cedo a esta tendência dos nossos jovens, e este teu post é muito importante como chamada de atenção a este facto tão perigoso e deprimente.
Um beijo grande para ti amiga.

anamarta disse...

Olá Meg
Todas as quintas e sextas à noite passo na Rua das Janelas Verdes, e deparo-me sempre com o mesmo espectáculo, miúdos e miúdas de 13/14 anos ompletamente embriagados, deitados nos passeios! O que me pergunto também é se os pais não se apercebem do estado em que chegam a casa!É triste!
Um abraço

Amaral disse...

Meg
Nem sempre é fácil passar uma mensagem junto dos jovens. No entanto, vale sempre mais prevenir que remediar.
Boa semana
Abraço

Mïr disse...

Muito há por fazer...


Boa semana.

Lana disse...

krida meg, como eu gosto de vir a este blog.
o alcool é um flagelo mas quem já não bebeu um copito a mais e depois até se esqueceu das mágoas do dia anterior? e, no dia seguinte uma forte dor de cabeça mas tb um novo olhar para o mundo? eu sim !
quando assim é os efeitos são positivos, o pior é qd se torna um hábito eu sei etens toda a raz~eo em chamares a atenção.
hoje postei
um sorriso mto luminoso e até breve
Lana

romério rômulo disse...

meg:
convido mais uma vez os nossos amigos aqui do blog para uma ida ao meu
http://romerioromulo.wordpress.com
também se pode chegar lá via o selo que a meg afixou no
"recalcitrante".a presença dos amigos daqui me é muito importante.
ainda bem que o camões provoca um
feriado nacional.poeta é isso,meg.
um grande abraço.
romério

Renata disse...

Meg, querida,
este Picaso é belíssimo.

Eu visitei seu antigo blog e li sobre a Billie. Pelo jeito, nós duas temos muitos gostos em comum! A começar pelo Romério!

Beijooooooo

efvilha disse...

Tantas são as químicas contagiosas, que a mais sórdida que às vezes não vem por escolha, é a química contagiosa da miséria, de toda e qualquer miséria.

Beijo de Paz, Meg.

Carminda Pinho disse...

Olá Meg, Bom dia!
Infelizmente para os nossos jovens (muitos deles) o álcool não está presente sómente nas férias.
Todos os fins de semana, quem passe pela 24 de Julho, é vê-los (eles e elas) perdidos, tipo zombies, e o "espectáculo" não é bonito, não.
Há muitos anos atrás, era um costume bem português, os pais darem de beber álcool às crianças, para se tornarem mais "fortes", era essa a sua ideia.
Existem pessoas que bebem, para conseguirem dizer aquilo, que sóbrios não conseguem.
Existem outros que bebem para esquecer, segundo dizem.
Salazar, dizia que beber vinho, era dar de comer a um milhão de portugueses. Como se pode provar hoje em dia, todas estas ideias estavam, estão erradas.
Beber álcool em excesso, é tão grave para a saúde como ingerir drogas.
Meg, a nossa juventude não está perdida, só que há muito ainda, a fazer por ela.
Boa reflexão nos trouxe este teu post.

Beijos

O Guardião disse...

O maior problema, no que se refere aos jovens, é que bebem para apanhar um pifo, e eu não percebo onde está a graça disso. É proibido vender bebidas alcoólicas a menores, mas a ASAE que fiscaliza os chouriços, o pão e as Lacostes da treta, não parece ver a venda descarada de álcool (os shots)a miúdos, grande parte deles sem um pelo de barba na cara.
Enfim, estamos em Portugal, um país governado por (ditos) socialistas que aderiram ao liberalismo, afirmando que continuam a ser de esquerda??... defendendo ainda o capitalismo??...
Que grande confusão, mas é assim mesmo!
Cumps

meg disse...

Luisa,
Infelizmente aqui é o pão nosso de cada dia...
E cada vez mais as raparigas também fazem parte desse espectáculo tão triste.
Um abraço

meg disse...

Paginadora,
´
Pois ainda me choca e sempre que posso e idade deles mo permite tento intervir, embora eu tenha desde sempre uma grande dificuldade em lidar com pessoas embriagadas. É o mesmo que falar com uma parede.
Figuras triste, sejam jovens ou adultos.
Um abraço

meg disse...

Anamarta,

É uma realidade, hoje, minha amiga.
E no Verão, em férias... não queiras saber!
Um abraço

meg disse...

Amaral,

Em plena época alta de turismo, onde a noite é o dia destes jovens, até nem é só o álcool.
E as misturas, e os comprimidos?

Um abraço

meg disse...

Mïr,

Não tenho tanto a certeza, minha amiga!
Um abraço

meg disse...

Lana,

Que bom te ver, mulher!!!!
Até que enfim!
Quanto ao álcool, eu não entendo, nunca entendi que prazer pode dar o álcool, mesmo nos adultos. E então naquelas pessoas que sabem que têm aquilo que "o povo chama mau vinho"!
Um abraço

meg disse...

Romério,
É, amanhã é o dia de Portugal, o dia de Camões!
Seu blog, meu amigo, está a arrancar, mas não esquece que Portugal neste momento está de férias até 4ª feira! FÉRIAS!
Recebeu o meu mail?
Um abraço

meg disse...

Renata,

Que você goste de meu Picasso,tudo bem, eu também...
que tenhamos os mesmos gostos, tudo bem também...
Mas se você tenta tirar o meu Romério, aí vamos brigar mesmo, ehehehehe!!!!

Um abraço, minha amiga!

meg disse...

efvilla,

é verdade o que você diz, este é o problema que nem é novo!
Um abraço

meg disse...

Carminda,

Ainda me lembra de ouvir falar das sopas de cavalo cansado, que até às cianças eram dadas.
Só que as sopas agora têm outro nome, e as mistelas são mais que muitas.

Mas é uma tristeza.

Carminda entendes a minha pressa?

Um abraço

meg disse...

Guardião,

Tu não sabes e eu também não, meu amigo.
Ah... e já que falaste na Asae, há dias, aí nas Amoreiras comprei, ao balcão duma cafetaria do Supermercado uns supostos "pasteis de massa tenra".
O chefão da ASAE devia ser obrigado a comer uma dúzia deles.
A massa não era tenra, era pedra.

Um abraço

São disse...

Fico bem contente por se começar a falar num tema que denuncio há longo tempo: o problema do alcoolismo juvenil!!!
Feliz feriado.

meg disse...

São,
Aqui, em férias é um espectáculo diário.
O curioso é que não vi ainda um jovem espanhol embriagado!
O mesmo não digo dos ingleses, para esses é um estado normal (repito que há excepções)
Um bom fim de semana também.
Um abraço.

Fernando Rozano disse...

é uma das questões sociais mais sérias que devemos enfrentar, e quando me refiro a nós, é nós sociedade. por aqui, junta-se à bebida, as drogas, e muitas outras mazelas que hoje estão a cada dia mais escancaradas. belo post reflexivo e alentador para as iniciativas que temos que ter. abraços.

meg disse...

Fernando,

Este é mais um sinal de degradação da sociedade. Que adultos teremos nós daqui a uns anos?
Temo, temo muito.
Infelizmente, mesmo entre classes esclarecidas encontramos, por vezes casos surpreendentes... onde menos se espera.
E uma pessoa sob o efeito do álcool
é um espectáculo lastimável, e o discurso sob o efeito do mesmo, mostra o avesso da pessoa mais insuspeita.
Um abraço

jasmimdomeuquintal disse...

Pelo menos tentaste. Mas como tu, duvido que nutra algum efeito!
bom feriado.

bettips disse...

Com beijos e abraços
meus para ti
passei perto do teu céu do sul
... de volta de alguns dias, ainda não me apetece net-falar...
Mas não nos perdemos do "pensar".
Assim levamos os dias, um a um.

Papoila disse...

Querida Meg:
Jack London e O Apelo da Selva, fazem parte dos autores e dos livros da minha vida.
Texto mais que pertinente porque o consumo de bebidas alcoolicas cresce entre os jovens principalmente cerveja com misturas.
E todos os estabelecimentos têm escrito que é proibida a venda a menores de 16 anos. Porque não actua a ASAE nesta situação? E os pais demitiram-se da sua tarefa?
Muito bom este artigo.
Beijos

Agulheta disse...

Meg. Grande este texto e pertinente sobre os malificios do alcoolismo,eu sei como é inflizmente,aos sabados a noite quando estamos de serviço! é leva-los para os hospitais a cair de bébados,só me admira os pais que deviam dar educação e deixar crianças! porque o são até altas horas da madrugada a cair pelas ruas,isto é que é triste,a responsabilidade onde está?Gostei da chamada de atenção.
Beijinho Lisa

meg disse...

Jasmim,

É verdadeiramente muito pouco o que podemos fazer, podes crer.
Um bom resto de fim de semana e um abraço

meg disse...

Papoila,

Não sei se vou ser injusta, mas acho sinceramente que o pais se demitiram em muitas coisas. E o álcool (mais o que lhe é muitas vezes adicionado) é um dos maiores perigos da noite para muito jovens. Como evitar? Não sei! Sinceramente! Veio com a dissolução dos costumes, minha amiga.

Um bom fim de semana e eu abraço

meg disse...

Minha querida Bettips, por isso o céu tem estado mais azul. E se não te apetece net-conversar, não o faças! Eatás bem?
Isso é o mais importante
nós esperamos.

Beijinhos para ti

meg disse...

Lisa,
São esses pais que estão a preparar
os homens de amanhã!!!

É um dos grandes males doa nossos dias,

Um abraço e continuação de bom fim de semana

Pitanga Doce disse...

Quando vejo jovens alcoolizados a fazerem barulho, rirem sem motivo, sempre penso: estão a fugir de quê? Deles????

beijos doces

amigona avó e a neta princesa disse...

Este é um tema que urge SEMPRE combater! Beijos Meg e bom feriado...

meg disse...

Pitanga,
Que bom ver-te cá em casa.
Pena é o tema do post, mas infelizmente essas imagens que referes são cada vez mais frequentes, e não sendo suficiente o álcool, temos ainda as drogas que nele são misturados!
E no Verão é a loucura total das festas quase só para beber, mesmo.

Um grande abraço, Pitanga.

meg disse...

Amigona,

É verdade, Amigona, vamos fazendo o que podemos, em relação àqueles que estão à nossa mão, e a quem podemos ajudar.
Pouco mais está`ao nosso alcance senão alertar, alertar.

Um abraço

pin gente disse...

e começam cada vez mais cedo, rapazes e raparigas.
e desculpas as asneiras no que ingeriram.
em excesso... uma droga como outra qualquer, com a diferença de não ser proíba...


abraço
luísa

meg disse...

Pin Gente

Convencionou-se que era "giro" apanhar uma "tosga".
E as consequências destas comemorações podem levar aos comportamentos mais inadequados, não é verdade?

Um abraço

Filoxera disse...

Começam bem...
Beijos.

Gabriel disse...

Olá Meg.......

Falo por mim..que ainda estou de certa forma agarrado por esse terrivel vicio.........não tenho tido a força nem o engenho pra me afastar....... e tenho visto a minha vida a afogar-se lentamente nesse caldeirão de ilusões fátuas..... é preocupante......e ainda mais nos jovens......mas que autoridade moral tenho eu pra falar........
Beijos

Gabriel