25 de maio de 2008

A Paixão do Poeta

ROMÉRIO RÔMULO
LEIA ESTA ENTREVISTA... DE VIDA


meg:desta vez não será possível responder a cada um dos comentários,em função de outros trabalhos.mas procurarei, sempre que possível, entrar no blog e falar sobre um conjunto de comentários..
meu abraço carinhoso.romério
"Uma das flores mais bonitas que conheço é a do pequizeiro."
a paixão do poeta1.

posso envernizar minha paixão.
posso dar-lhe uma nesga de brilho.
poli-la como aos sapatos burgueses,
os tecidos que encantam os salões,
as lantejoulas que efervescem a noite.
posso mesmo escavá-la como se faz com o furúnculo,
e, adentrando o seu pus,
arrebentá-la nas encostas de mim.
posso derivá-la em vida, cachoeira viva
que nunca será rio

posso então, o quê!

nada, nada posso
que não seja a sua própria carne,
seus espasmos,
sua efusiva e momentânea fúria.

de tudo
o risco na pedra
vai dizer.
e só.


2.

a fúria, a tortura, os desejos
são caldos que engrossam a noite.
tensos, passamos pó sobre as feridas,
lambemos nossas almas de pedra,
reviramos cada estalo, cada medo.

os ruídos adentram nossa veia
como fogo da morte.
nada nos diz o silêncio. sobre nós
as formigas ressaltam seus desejos.

a chuva perdida sobre as portas
entrava as dobradiças, enferruja os homens.
a veia de minas, o chão de minas,
nos contunde.
resta buscar o que sobrou do amor





"Escrever poesia é algo caudaloso para mim, tenho sempre uma quantidade expressiva de textos e ao mesmo tempo que estou criando, retrabalho permanentemente os que já fiz","É a única forma escrita na qual sei me expressar, então representa um
desafio no sentido de realizar uma comunicação pessoal.

E especialmente esse género me atrai por ser uma fonte de busca de uma linguagem nova.
Desde sua origem a poesia traz como marca o fato de ser um campo de surgimento de expressões renovadoras da linguagem"

.
.
"É um livro mais autobiográfico, voltado para a terra" R.R.
.


O poeta Romério Rômulo publicou sua última obra em 1996, "Tempo Quando"(quatro livros em dois volumes). O hiato de dez anos não significa uma crise criativa. Basta dizer que na última década ele escreveu mais quatro livros e apresenta agora o primeiro da safra, "Matéria Bruta", lançado pela editora paulista Altana. Mineiro de Felixlândia que vive entre Ouro Preto " onde é professor da Ufop " e o Rio de Janeiro, Romério cresceu na região do São Francisco, numa paisagem marcada pelo rio e o cerrado.
Nos anos 1960 foi estudar em Ouro Preto e desde então convive com o cenário histórico que se tornou outra de suas referências. Dessas geografias se originam "Matéria Bruta". A relação de Romério com a poesia é de necessidade e desafio. Ele relaciona essa condição histórica da poesia ao universo em que sempre conviveu, do sertanejo. "É um homem que traz essa capacidade de criar expressões para definir as coisas", compara, acrescentando que busca esse "ritual sertanejo" quando se debruça sobra a escrita poética,combinando isso à procura de um rigor de linguagem "que chega aincomodar".
O livro tem prefácio da professora Dulce Maria Vianna Mindlin que, segundoRomério, está coordenando um grupo de estudos de outros professores universitários sobre sua obra poética.
Para Dulce, "Matéria Bruta" apresenta um poeta "em diálogo consigo mesmo, com suas vivências, com suas experiências. A apropriação pelo discurso dos fragmentos que virão a constituir esse sujeito é fato que salta aos olhos. A "apreensão" de um real, mesmo que passado, exibirá sua funcionalidade inquestionável na constituição deste sujeito presente que
, numa salutar tagalerice poética, traz à tona um mundo de experiências vividas".
Júlio Assis
.


**********

Meu amigos, leiam esta importante entrevista dada por
ROMÉRIO RÔMULO
http://www.germinaliteratura.com.br/pcruzadas_triptico_rr_set07.htm

romerioromulo@hotmail.com
.
.

romério rômulo to me

97 comentários:

f@ disse...

Obrigada pela sugestão... a entrevista fica para amanhã...
beijinhos das nuvens

bettips disse...

Caudal de HOMEM.
Belíssimo!
Bjinhos

Amaral disse...

Meg
"Resta buscar o que sobrou do amor"...
Esta frase, qual chave-de-ouro, encerra um belíssimo poema. Gostei!
Confesso que não li a entrevista, mas pelo pedacinho de texto que está por baixo da foto do autor, acredito que seja uma bela entrevista.
Boa semana
Abraço

romério rômulo disse...

meg:
desta vez não será possível responder a cada um dos comentários,em função de outros trabalhos.
mas procurarei,sempre que possível,entrar no blog e falar sobre um conjunto de comentários.
não fique ansiosa.
e você nada tem de chata.
meu abraço carinhoso.
romério

romério rômulo disse...

meg:
chego aqui para deixar meu
carinho a todos os amigos do blog.obrigado.
romério rômulo

meg disse...

Amigo Romério,

Feliz que me sinto pelo teu imenso
carinho pelos Amigos deste blogue.
Sei que muitos deles não irão comentar


sem lerem a tua entrevista

Entretanto eu vou respondendo aos comentários.

O ESPAÇO É TEU...USA AO TEU CRITÉRIO, MEU QUERIDO AMIGO!


Retribuimos teu carinho...

Meg

meg disse...

F@,

Não perca a entrevista, ficará com mais um Amigo, e cá a espero amanhã.
Um abraço e agradeço desde já a visita.

meg disse...

Minha querida Bettips,
Ia apostar que já passaste os olhos pela entrevista e pelo... resto.
Como seria saborosa uma troca de ideias tuas com o Romério!
Até amanhã?
Bjs

meg disse...

Amigo Amaral

Pois podes confirmar, lendo a entrevista e visitando os links que aqui deixo.
Se não a leres, perderás a oportunidade de conhecer um grande poeta e um Homem especial.
Um abraço, e espero ver-te ainda neste post.

meg disse...

Meu querido Amigo Romério
Claro que quem tem uma actividade profissional como a tua, não pode ter disponibilidade para estar "pendenturado" no computador.
Por isso, creio que todos os nossos
Amigos entendem que só poderás passar por aqui, a intervalos, mas virás!

Até já... que já chegaste!!!

Carla disse...

não li a entrevista...mas as palavras encantaram-me
beijos amiga

meg disse...

Carla,
mas espero que leias, é uma entrevista de vida...tens 3 dias, minha amiga.
E quererás saber alguma coisa mais sobre o Romério Rómulo.

Um abraço

minucha disse...

Comecei poe ler a entrevista, ficando fascinada, pelo autor.

hoje é dia mau, por ter tido tantos técnicos em casa na tentativa de arranjos, e não consegui ainda ir ver todos os sites.

Mas belíssima as suas palavras neste poema que Meg editou.
Gostei muito da sua visão do mundo, e do que fala da poesia, e da maneira de a encarar.
Virei outra vez mais tarde, se não se importarem.

Beijos para os dois.
Obrigado, Meg, por mais esta oportunidade.

minucha disse...

Já estive a passar os olhos por o último site e Nossa Senhora!!!....
Revi-me.
Poderei colocar alguns dos seus poemas em meu blog, dizendo sempre a sua autoria, e deixando link para o lugar de onde os tirei?
Estou encantada

meg disse...

Amiga Minucha

Eu sabia. E tu foste pelos vistos a primeira a ler a entrevista.
Que o teu comentário seja um incentivo para os outros Amigos.
Tal foi a surpresa, não foi.
Quando Romério voltar, ele com certeza vai responder-te.
Este post vai estar uns dias... os que vocês quiserem, salvaguardando a disponibilidade do Romério.
Até breve então
Um abraço

meg disse...

Minucha,
Posso desde já te garantir que o Romério não te vai recusar isso que pedes.
E se soubesses quanto há mais para conhecer!!!
Vai passando, Minucha.
Não te esqueças que ele está em Ouro Preto... é engenheiro, professor universitário...
E eu aqui tão perto.
Te aguardo

romério rômulo disse...

meg:deixo meu e-mail para
quem desejar fazer contato
comigo
romerioromulo@hotmail.com
se possível,meg,divulgue,
por favor.
sobre a questão da minucha
de publicar poemas meus no
seu blog,sinta-se à vontade.terei a maior satisfação com isto.estarei
por aqui,sempre.obrigado.
romério rômulo

meg disse...

Romério,meu Amigo

Foi transmissão de pensamentos... acabei de o fazer no post logo no início... e também aqui ACIMA!!!

INCRÍVEL COINCIDÊNCIA!!!

Anónimo disse...

Saudações amigas
C Valente

minucha disse...

Obrigado Romério Rômulo

é muita generosidade sua.

Obrigado Meg, também a ti, mais uma vez.

Só amanhã lerei o resto, porque hoje foi um dia muito cansativo e eu a noctívaga, vou-me deitar cedinho

Beijo aos dois

MPS disse...

Cara Meg

Seis turmas de pontos (ainda falo assim…) para fazer e outras tantas para corrigir tiram-me tempo para ler tudo de seguida, como deveria ser. Fico-me, agora, (a Meg e o Romério perdoar-me-ão) pela primeira impressão colhida, apenas, na leitura dos poemas publicados aqui. Neste momento eu deveria estar a corar de vergonha por não conhecer este poeta!

Começo pelo nome: se não é pseudónimo, os seus pais fizeram uma escolha extraordinária: Roma e império mais o fundador da cidade! Se pseudónimo, indicará um pendor guerreiro, pressentido na leitura destes dois poemas (se nome... pais clarividentes).

Palavras nuas escritas a quente; paixão violenta!

É interessante notar o contraste – quase diria antítese – entre o início e o fim. Começa com a paixão e diz que a não quer embelezar (forma de dizer que outros mentem…) porque não passa de “efusiva e momentânea fuga”, mas termina, depois da enumeração de muita violência, com a decisão de “buscar o que sobrou do amor”. Já não se trata de paixão. Algo pelo meio mudou!

A mudança está nestes versos:

“de tudo
o risco na pedra
vai dizer.”

A imagem da pedra riscada só na aparência é fria ou brutal. Na verdade, o que aí se afirma é que o amor é eterno – como tudo aquilo que se grava na pedra.

Afinal, o poeta guerreiro, com assomos de violência, busca o amor como outros o cantaram!

P.S. Desculpe o atrevimento, Romério, mas se me atrevi foi porque me cativou com as suas palavras.

Um abraço para ambos e muito obrigada à Meg por mo ter apresentado

anamarta disse...

Meg
O poema é belíssimo!
e a entrevista adorei! só a descrição do significado do nome é um poema!
obrigada por partilhares connosco!
um abraço

Chanesco disse...

Minha cara Meg

A ver pela robutez da escrita, quase se poderá julgar o nosso amigo RR, um Rolls Royce da Poesia.

Um abraço

Vieira Calado disse...

Coisas bonitas e instrutivas, vejo eu no blog.
Cumprimentos

meg disse...

Meus amigos,

permitam-me que vos responda amanhã de manhã. a começar pela MPS, que o dia foi muito longo mas muito bom.

LEIAM A ENTREVISTA

Uma boa noite para todos

Carminda Pinho disse...

Meg,
já ontem por aqui andei e, li o post por "alto".
Hoje voltei mas tão tarde que, só deu para ler o poema que é belíssimo.
Voltarei amanhã para reler o poema e ler a entrevista.

Abraço os dois.

PS:- Deixa-me que cumprimente a MPS, pela análise fantástica que faz no seu comentário.

meg disse...

Querida MPS,

Arranjar tempo no meio de tantos afazeres para vir à Recalcitrante, comentar este "nosso" amigo, o poeta Romério Rômulo já é um motivo para um agradecimento especial.
Agora sobre Poesia mesmo, peço licença para ficar de lado a ouvi-los e a aprender.

Disse-me o Romério Rómulo que gostaria muito de entrar em contacto com a MPS...

Já ia longa a noite e por isso só
agora poderei dar-lhe a resposta se o permitir, claro.

Ainda funciono à moda antiga.

Um grande abraço, amiga MPS.

meg disse...

Anamarta,

Se gostaste, e eu tinha a certeza que sim, quer dizer que atingi um objectivo, o que me deixa feliz.

E lembro-te que tens, como todos, o émail está à disposição.se quiseres entrar em contacto com o
Romério Rômulo.

Obrigada e um abraço

meg disse...

Meu querido Chanesco

A brincar o dizes, mas podes crer, e a ti, que tão bem escreves, ouso pedir-te que leias a entrevista.
porque vale a pena (que pena não é!)
Um grande abraço para ti

meg disse...

Amigo Vieira Calado,

Um poeta que vem conhecer outro poeta!

Espero que também tu, que és da área, gostes do que encontras por aqui.
Mas creio que já conhecias o Romério Rômulo.

Um grande abraço para ti





Obrigada (duas vezes) pela tua vinda.Para me acordar a memória,
meu amigo...como foi possível?)

meg disse...

Carminda,
Ainda não leste a entreviste, pois digo-te que se lê de um trago e quando o fizeres ficarás muito
arrependida de não o teres feito logo no primeiro dia.

Nem sabes o que estás a perder, pois ela é o "miolo" do post.
Depois me contas.

Um abraço

minucha disse...

Vim cá ontem à noite agradecer a Romério Rômulo a grande generosidade
e a ti também.
Fiz alguma asneira, porque não o vejo aqui, mas estava tão cansada que devo ter saído, esquecendo-me de clicar na publicação do comentário

As minhas desculpas.
Vou ler agora os outros sites.

Mas ficou-me da leitura da entrevista que João Cabral de Melo Neto e Romério Rômulo são o mesmo grande poeta.
Interpretei mal?


beijinhos aos dois.

meg disse...

Minucha,

Com o mail do Romério à disposição, que tal perguntares-lhe?

Quanto ao tem comentário de ontem não faço ideia, mas a mim acontece-me isso por vezes, escrevo e esqueço-me de publcar ou verificar se entrou.
Mais uma vez um abraço

minucha disse...

Desculpa Meg

mas vou deixar um poema de mesmo Poeta.
Não vou dizer que sou assim, não me atrevo, mas sim que assim sinto.
Adorei a análise de MPS, tenho sempre admiração por quem sabe e faz o que nunca conseguirei.
Eu só sinto.
Preciso de arranjar este livro "Matéria Bruta" rapidamente.
Está cá à venda Meg, sabes? ou preciso de encomendar e onde?


estas manhãs que chegam pelas costas
nos trazem um poder sobressalente.
o ciclo biológico se fecha
em queixas e cardumes.
as faces, duras pedras de pó carcomido,
trazem visgos.
quando olho a montanha
refaço-me
sou o que trouxe o osso da cadela
nas mãos.
meu estômago é leve, o intestino, bruto.
posso roer manhãs como moradas

a cabra que alimenta meu coração
tem um salto de potro, um estado
de cão louco, uma avidez de flecha

se penso a noite, a refaço pelas beiras.
os rios que me ruíram as sobras
não são vestais: são curtidos de visgos,
águas barrentas.

uns lençois baratos recobrem meu silêncio.
um ananás do passado mostra a lucidez do meu corpo.

não vim ser anjo,
vim ser estardalhaço!


Beijo aos dois, ternamente emocionada

meg disse...

Minucha,

como resposta envio-te este link

http://arecalcitrante.blogspot.com/2008_03_01_archive.html

para visitares urgentemente, e com tempo.

Logo falo-te do livro, ok? que estou de saída. Sorry!
Um abraço

meg disse...

Minucha,

ou este link, que esse não ficou completo, o link completo é


http://arecalcitrante.blogspot.com/2008_03_01_archive.html


nesse aí faltou...

_archive.html

Abraço

Maria Faia disse...

Pois é Amiga,
Estás mesmo a ficar famosa... Fico contente por ti pois, é de louvar e reconhecer o teu trabalho.
Esta poesia de Romério Rómulo, que já outras vezes tens citado, faz-nos pensar e, sobretudo lamentar que, muitas vezes não se saiba reconhecer o amor ele mora...

Quanto à hipótese que avanças de um novo blog, posso assegurar-te que não tenho, nem quero ter. Até porque o meu tempo escassei e prefiro visitar os bons amigos que por cá fiz. O meu único blog foi/é o Querubim, embora em tempos não muito longínquos tenha, em conjunto com outra criatura, de mente muito fértil, criado um outro blog que, para mim, somente serviu para confirmar o que interiormente já sabia. Ilusões...

Beijo Amigo para ti e,
Parabéns.

Maria Faia

minucha disse...

Meg,

quando puderes e tiveres tempo,mado-me o link por mail, porque aqui nunca fica completo e não consigo entrar.
desculpa o trabalho

Beijo

Menina do Rio disse...

Meg, belo poema de Romério. Achei interessante ele dizer que (r)edita os escritos. Se eu tentar fazer isso; tudo o que escrevi perde a essência, rs...

Um beijo pra ti querida

meg disse...

Maria Faia,

Agora não acertaste... porque não é fama o que procuro nem desejo.
Agora se aquilo que me apetece fazer, agrada às pessoas, aos Amigos, para mim já é ouro sobre azul. Claro que fico feliz, não nego.
Mas repara que eu não estou sozinha neste post, nem é o meu trabalho que aqui conta.
Leste a entrevista?
Essa sim, vale a pena ler, assim como o poema.

Quanto ao resto, minha amiga, "el camino se hace caminando..." com calma

Um grande abraço amigo

meg disse...

Minucha,

Imagina como não me lembrei do elementar!
Espero que já esteja o assunto resolvido.

Um abraço

meg disse...

Menina do Rio,

Verónica, esses pormenores deixo-os à sabedoria popular " cada cabeça sua sentença!"
Tu já conhecias o Romério daqui, suponho, mas será que leste a entrevista?
Não deixes de ler, vais gostar, tu que também escreves muito bem.

Um abraço para ti

romério rômulo disse...

meg:
há algum mal-entendido:os meus poemas não são editados.nunca foram.
romério rômulo

meg disse...

Romério,

confesso que também não entendi, mas creio que Verónica vai esclarecer isso contigo, deve ter havido um erro, talvez!
Mas que é bom esclarecer, claro que é.

Meu abraço.

Menina do Rio disse...

Copiado do teu blog, Meg; logo abaixo da foto:

"Escrever poesia é algo caudaloso para mim, tenho sempre uma quantidade expressiva de textos e ao mesmo tempo que estou criando, retrabalho permanentemente os que já fiz"

Não foi crítica; foi apenas um comentário.

meg disse...

Romério,

Lembrei-me agora de que talvez pudesses revelar como as pessoas podem ter o teu livro.

Quando quiseres...

Tem muitos amigos à espera.

Menina do Rio disse...

O que entendi por "retrabalhar" seria
remodelar, revisar, editar, corrigir.
Os músicos os fazem e os escritores também.
Só quis dizer que eu publico rascunho; não fiz comparação, mesmo porque nem me cabe...

Desculpe Romério

Agulheta disse...

Meg.
Fico feliz por saber,do teu trabalho neste blog,porque dá trabalho é verdade,li a poesia é linda e fazes bem partilhar,com os amigos deste espaço,amanhã venho ler a entrevista,tenho muito que comentar.
Beijinho Lisa

Zé Povinho disse...

Da economia política à poesia forte na expressão e na forma, é um passo e tanto. Uma escrita que não se lê por alto, antes se relê e se vai revelando.
A entrevista confirma a minha impressão inicial.
RR bem merece ser divulgado pela escrita bem distinta, pelo menos ao que tenho lido nos últimos tempos.
Abraço do Zé

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Já vi que tens aqui material para ler cuidadosamente e para pensar. Vou passar por aqui amanhã com calma porque estou com uma gripe manhosa e hoje não dá.
Um abraço para ti e outro para Romério Rômulo que já deu para perceber o muito que tem para nos dar.

romério rômulo disse...

menina do rio:
claro,entendi agora o que você
quis dizer com o "editar".na
poesia há essas correntes:a do texto que brota e deve permanecer
assim e a do texto trabalhado e retrabalhado.a maior parte dos meus poemas estão no segundo grupo.
não há desculpas a pedir.eu te agradeço.
romério rômulo

meg disse...

Romério,

Estou aqui, estás a ver-me?
Aqui atrás da porta...

Esqueci de te dizer que afinal nunca mais falamos de Camões.

O contacto desta manhã é fantástico. Nem escolhido a dedo!

romério rômulo disse...

meg:como você sugere apresento a forma de se adquirir este livro.
ele está nas grandes redes de livrarias brasileiras,como a cultura e a saraiva.pode ser obtido
na internet,por exemplo,nos seguintes endereços:
www.livrariacultura.com.br
www.livrariasaraiva.com.br
para outros endereços há que se fazer uma pesquisa com o meu nome.
um grande abraço a todos os amigos
do blog.
romério rômulo

romério rômulo disse...

meg:
não consigo te ver tão bem,mas posso te prever.quanto ao camões,ele é o topo da poesia de
língua portuguesa.carrego os sonetos dele permanentemente comigo.
obrigado.
romério rômulo

Carminda Pinho disse...

Olá Romério!
Que sorte a minha vir aqui e cruzar-me consigo.:)))
Queria fazer-lhe uma pergunta, se não se importa. Se eu quiser adquirir o seu livro Matéria Bruta, como posso fazê-lo?
Fico aqui a aguardar a resposta.
Obrigada.
Um abraço

meg disse...

Romério,

Foi bom este esclarecimento,
eu tenho mais alguns links, se mais alguém precisar.

Seus amigos sabem onde encontrá-lo e também sabem onde estou, porque tenho muito material seu que já recolhi.

Estava te preparando uma surpresa, mas... não sei se vou ter sorte.

Me aguarde

meg disse...

Romério, estava pensando em Maria.

Porque esse seu fascínio por Camões é muito importante também para muitos de nós.

Mas, como você e meus amigos sabem,
você é meu convidado especial.

Quando precisar de "espaço" e "tempo", você tem garantido aqui, escrito por si ou por mim.

E você vai passar a constar como isso mesmo, no perfil deste blogue.

Se você recusar, vou recalcitrar!

E cadê o Carlinhos?????

romério rômulo disse...

carminda pinho:
nós nos encontramos numa informação
em que eu me antecipei por pouco,ao
responder à sua questão de como adquirir o livro.

meg:
sua proposta já está aceita.

obrigado
romério rômulo

Luisa disse...

Descobres sempre um poetas extraordinários! Amanhã virei ler a entrevista.Boa semana.

meg disse...

Luisa,

Se oa meus amigos gostam do que aqui se publica, o mérito é dos que aqui dou a conhecer.
E, como amiga te digo que não percas a entrevista. Depoia dirás se vale ou não a pena.
Fico à tua espera.
Um abraço amigo

Flor do Pequizeiro disse...

e até agora ainda ninguém falou de mim, a flor do pequizeiro!!!

nem da musica!!!

estou um 'cadinho triste

Tudo Romério, tudo Romério... não é justo!!!!

Não dou beijinhos porque posso picar...

Carlinhos Medeiros disse...

As estatísticas não mentem: são necessários bilhões de nascimentos para um gênio vir ao mundo. São milhares de poetas, escritores, músicos, mas dificilmente nasce um com a capacidade genial de Mozart, Camões, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Jorge Amado, e, desde a primeira vez que eu li Romério vi que estava diante de uma certa genialidade.
Abraços, Meg e parabéns pela iniciativa de exponenciar tão belo trabalho do amigo Romério Rômulo.

hora tardia disse...

"apaixonadamnete" a devorar tudo o que por aqui se escreve e inscreve......


________________

obrigada.


________________beijo.



p.s.(ah...vai aparecer h.t. mas sou o Piano)....

sorry.

meg disse...

Carlinhos Medeiros,

Carlinhos, sua presença aqui é-me
muito grata. Suas palavras sobre o Romério Rômulo são meu presente para ele, por isso vou deixar para o Poeta o prazer de lhe responder.


Da Meg, receba um abraço

E seu link já está...lá!

meg disse...

Hora Tardia...PIANO

Esta é uma visita algo original, de certo modo inesperada, quase urgente... mas que me deixa muito feliz, particularmente feliz.
Quanto ao H.T.... don't mind!

Um abraço

romério rômulo disse...

meg:
quero agradecer a todos os amigos que já se fizeram presentes e deixaram suas palavras.o carlinhos medeiros me deixou de mãos amarradas já que não é possivel falar sobre o comentário dele.só
cabe mandar-lhe um abraço especial.
é sempre bom estar com vocês.
romério rômulo


28 de Maio de 2008 17:45

MPS disse...

Meg / Romério

Se tivesse lido a entrevista antes, escusava de ter metido água com o nome...

Digamos assim: tive que ir buscar um mapa do Brasil, tive que reler Manuel Bandeira para entender aquela da "Pasárgada"... e não houve dicionário que me ensinasse o significado de "rabutalho"!

Posso ser sincera quanto à entrevista? Que diabo de perguntas! Das duas uma: ou há um léxico, espécie de gíria de não sei que grupo, ou perguntas como as seguintes são completamente disparatadas:

"Pudesse rasgar os cabelos e partir (...)" Rasgar os cabelos?!

"Escrever poesia é preservar o sangue azul do mestiço ou entrar na metástese de um sangue coca-cola?" A do coca-cola, creio, percebi-a, mas... metástese de sangue? Da afirmação anterior, então, não percebo mesmo nada, porque não faço a mínima ideia do que é isso de "poesia enquanto língua em estado de léxico político!"

E por aí fora, que não vale a pena continuar.

Se começo por zurzir em quem pergunta é porque quero destacar a qualidade de quem responde: o Romério soube muito bem ultrapassar as (para mim)patacoadas e deixar algumas pistas que permitem aos seus leitores entenderem melhor a sua poesia e a sua visão do mundo. Gostei das respostas.

Um abraço a ambos

meg disse...

Amiga MPS,

O Romério esteve aqui dez minutos antes, e provavelmente já não terá visto o seu comentário, mas creio que mais tarde passará por cá e só ele poderá esclarecer as suas dúvidas. Os meus parcos conhecimentos não me dão sequer a pretensão de opinar, como já lhe disse anteriormente. Só o facto de se ter debruçado sobre este tema, para mim já é uma prova do interesse que lhe mereceu este post.
Mas tenho a certeza que o Romério, que deve estar a dar aulas a esta hora, (suponho´), passará mais tarde.

Um abraço minha Amiga

romério rômulo disse...

mps:você tem total razão.as perguntas são disparatadas.propositalmente dispa-
ratadas.e eu tive que me virar para
responder com um mínimo de sentido.
agradeço a sua atenção e as suas palavras.
romério rômulo

MPS disse...

Cara Meg

Sabe o que é? Lembrei-me da história de "o rei vai nu"...

____
Recebeu a minha resposta ao seu mail, dizendo que, para mim, estava tudo bem?

Um abraço

MPS disse...

Romério

Ufa, que alívio!

Eu é que tenho que agradecer a sua simpatia.
_____
Por favor, o que são rabutalhos?

Com os melhores cumprimentos

romério rômulo disse...

mps:
em certas regiões do brasil o termo rabutalho é usado no sentido
de trapo,sucata,algo de pouco valor.
mais uma vez te agradeço a gentileza da presença.
romério rômulo

Saramar disse...

Gostei imensamente deste poeta. Vou ler a entrevista dele.
Sem contar que você ilustra com a linda flor de pequi, fruto da minha terra, beleza e delícia do cerrado.
Obrigada.

beijos

meg disse...

Cara MPS

Sim recebi, e vocês vão-me desculpar mas acabei por ir tentar saber quem é entrevistador... Wilmar Silva. E já lhe mandei o que encontrei para matar a charada.
A minha leitura fica para depois.
Ah... os rabutalhos, pronto está esclarecida. E eu também.

Romério onde você se veio meter.
A gente gosta mas gasta a sua paciência...

meg disse...

Saramar

Haja Deus!!!!

O prazer de te ter aqui junta-se ao de teres sido a primeira pessoa que reparou em mim.
Eu bem reclamei...

(Meg)Flor do Pequizeiro disse...

e até agora ainda ninguém falou de mim, a flor do pequizeiro!!!

nem da musica!!!

estou um 'cadinho triste

Tudo Romério, tudo Romério... não é justo!!!!

Não dou beijinhos porque posso picar...


28 de Maio de 2008 13:46

Pois ninguém deu atenção... só tu agora, Saramar.

Um abraço redobrado e fico à tua espera.



(a flor foi brincadeirinha, mas eu sei que ele até gosta muito dela!)

Bipede Implume disse...

Já nos tinhas dado a conhecer o Romério Rómulo e suas poesias.
Fui ler a entrevista e além do poeta, fiquei a conhecer o ser humano. Uma entrevista cheia de escolhos que ele venceu sem sobranceria, despido de salamaleques, e com algum humor.
É sina dos poetas irem a Pasárgada. Já o Manuel Bandeira queria lá ir.
Fui investigar o que era o pequizeiro. Árvora da família das cariocariáceas também conhecida por pequi ou pequiá, cuja flor embora com espinhos é lindíssima.
Para terminar gosto da expressão " a paixão é um rio só cachoeira".
Para o poeta o maior sucesso em tudo, na vida inclusivamente.
Para ti parabéns pelo teu entusiasmo, tua entrega, teu empenho.
Grande abraço.

tulipa disse...

Sabe bem
quando ficamos assim tranquilamente,
sem esperar nada,
apenas ali
para o que acontecer...


Beijinhos Meg.

Carminda Pinho disse...

Meg,
como já te tinha dito, gosto de ler com calma e, por isso só agora terminei de ler a entrevista que o Romério deu ao Wilmar.
Gostei muito. Do homem, da sua sensibilidade e da mestria que teve para ultrapassar perguntas um tanto "estranhas".
Ficou-me na memória a sua frase linda..." A paixão é um rio só cachoeira", muito bonita.
Parabéns Meg, por teres tido a ideia de aqui trazeres este grande poeta que, ainda tem muito para ser descoberto por nós.
Parabéns ao Romério pela sua humildade e amizade.

Quanto a Carlinhos Medeiros, eu tenho o link dele já faz tempo, ele costumava comentar o Ludo.
Vê só como são as coisas.
Agora, não me vou esquecer de passar por lá de vez em quando.

Ah! e também eu te quero falar na linda flor do pequizeiro que é linda, sim.
A música aqui em autoplay também foi para mim uma surpresa, mas Meg, não me lembrei de referir porque só pensei mesmo, foi em ler a poesia do Romério, da primeira vez que comentei.:)))

Beijos para ti.
Ao Romério, um abraço de amizade e um obrigada, pelo carinho que nos tem dispensado, nos seus comentários.

O Guardião disse...

O entusiasmo com que divulgas autores, por vezes quase desconhecidos para nós, e a diversidade de linguagens e aboragens que isto proporciona, merecem a nossa admiração.
Li a entrevista, e perante perguntas algo estranhas, o RR saiu-se muito bem, e de acordo com a poesia que escreve, com força e sem concessões.
Parabéns aos dois.
Cumps

EDUARDO disse...

um beijo curioso amiga!


paradoxos

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Tudo o que li de Romério Rómulo me apaixonou. Não porque considere incompatíveis a economia e a poesia, mas este rio caudaloso de paixão que R.Rómulo tão bem define, não se formata na frieza dos números.
Este homem tão lúcido quanto apaixonado (li com atenção a entrevista) tão premeditado quanto aventureiro, é uma verdadeira dádiva ao conhecimento e à descoberta entre as gentes.
Vou continuar a ler Romério Rómulo e a saborear cada etapa da sua escrita.

Abraço

Betty Branco Martins disse...

querida_________Meg




o poema








SUBLIME________...




.e gostei
muito da intrevista



PARABÉNS PELO_______RECALCITRANTE!!!










beijO______C______carinhO
bFsemana

meg disse...

Bipede Implume,

Isabel, o prazer que me dão os vossos comentários são um incentivo para continuar.
Depois, Isabel, o Romério além de grande poeta, é uma pessoa a quem ninguém fica indiferente, pela sobriedade e pela forma como quase pede desculpa por estar aqui a honrar-nos com a sua presença.
Um grande abraço.

meg disse...

Tulipa,

É exactamente assim, Tulipa.
Um abraço

meg disse...

Carminda,

Valeu ou não a pena ler a entrevista? Eu sabia que ias gostar.
De resto tudo o que dizes, revela o que muitos de nós já sabíamos do Romério, a quem o leu hoje pela primeira vez.

E ainda há tanto Romério para conhecer!

Uma coisa de cada vez, não é, Romério?

Um abraço para ti, Carminda

meg disse...

Meu caro Guardião,

Mais um comentário que agradeço,
pela atenção que te mereceu mais este post sobre do Romério Rômulo.
Eu, eu sou uma felizarda por ter no Romério um amigo e convidado permanente, que me estimula a continuar a fazer aquilo que gosto de fazer.

É meu o privilégio.

Um abraço amigo

meg disse...

Paradoxos

Fernando, palavra que curioso não foi só o beijo, mas o não comentário, eheheheh!!!

Mas se leste alguma coisa...

Um abraço esclarecido

meg disse...

Silêncio Culpado

Lídia, só podia agradar-te pelo que te conheço, por isso o teu comentário não me surpreendeu.

E isto não é tudo, Lídia.

Um dia vamos falar de Camões, a grande, ou uma das grandes paixões de Romério...

E de uma certa Fundação... aos poucos.

Um abraço, Lídia!

meg disse...

Betty Branco Martins

Betty,uma surpresa, não foi?

Romério é um Poeta com letra maiúscula, cuja obra deve ser conhecida aqui também, em Portugal.

Um bom fim de semana e um abraço

Isabel-F. disse...

é fabuloso este poema ...

adorei

beijinhos

meg disse...

Isabel F.

Obrigada, Isabel

Bom fim de semana e um abraço

romério rômulo disse...

meg:
quando você se refere a uma fundação,creio que seja ao instituto cultural carlos scliar,
meu grande companheiro que morreu
em 2001.a vieira da silva e o arpad
consideravam o scliar como um filho.logo depois da morte dele
a fundação vieira da silva em lisboa apresentou uma exposição
de seus trabalhos.
um grande abraço.
romério rômulo

meg disse...

Romério

Claro que queria dizer Instituto e não Fundação, como você fez muito bem em corrigir.
E estou a trabalhar essa matéria, para publicação quando você achar oportuno.


Assim, aqui deixo a correcção:

Na resposta à Silêncio Culpado, quando me refiro a Fundação, esqueçam, porque o que queria dizer era INSTITUTO...

O resto, o Romério e eu contamos em breve, pode ser?
As minhas desculpas.


Um abraço terno para você, Romério, meu Amigo

1 de Junho de 2008 16:44

jasmimdomeuquintal disse...

"resta buscar o que sobrou do amor"
Gostei da frase, porque é preciso buscar o que nos resta...

Renata disse...

Cara Meg,
Acabei de montar um blog para o Romério, com sua autorização e participação, lógico... Eu o ajudo na parte tecnológica. Agradeceria se pudesse divulgar o endereço:
http://romerioromulo.wordpress.com

Um abraço,
Renata

meg disse...

Jasmim,

Porque queiramos ou não, sobra sempre alguma coisa, minha amiga.
O problema é que nem sempre são coisas boas
Um abraço

meg disse...

Renata,

Fico muito feliz com o facto, muito feliz mesmo, e vou começar já a pensar o que vou fazer.
...

E agora gostava de saber sua opinião (só sincera) do que fiz:

A barra lateral do meu blog (aquele selinho para chegar ao blog, foi só uma graça),
a informação na caixa de comentários...
Renata, se precisar de minha lista de links para o Romério fazer visitas, pode fazê-lo.

Julgo que pelos comentários ele também pode encontrar as pessoas certas.

Tudo que está no meu blog, você pode usar, claro.

E você já deve saber que vou linkar seu blog também.

Se precisar me contactar pode fazê-lo para

a.recalcitrante@gmail.com

Um abraço