28 de outubro de 2009

PER AUGUSTO & MACHINA - novo livro de Romério Romulo


eu faço poesia porque a vida não basta e preciso dividir mistérios. incertos, os marimbondos vazios me arrastam pela tarde. o mel da manhã,fel em mim, entope minhas veias. quando os solavancos da palavra vão redimir meu corpo? quanto de mim é fogo e terra? sobram o hiato das pontes,os rios degenerados. minha manhã dura só faz o recomeço das coisas. (para Renata)
~~~~~~
"o estado da manhã é uma ausência a impetrar as cores mais cruéis. a pútrida face do mundo, inexistência, revela estradas, musas e corcéis. tamanhas dores, machucado o corpo, somente nasce das cinzas ao invés. instantes tão medonhos jazem torpes, a revelar o mundo de través. soltos e matas, fuzis enigmáticos apertam balas sobre o santo pátrio e o que sobra é um sertão calado que feito mar, estreita sobre a terra o santo guerrilheiro, conselheiro, berra na forma eterna de um tufão armado." ( guerrilheiro, berra)
~~~ PER AUGUSTO & MACHINA
UMA POÉTICA IMPLACÁVEL Romério Rômulo se movimenta num universo de contrastes, em que a experiência vivida testa as realidades estabelecidas em favor de uma lucidez cada vez maior. Suas imagens inquirem as aparências em favor da essência do viver. Com a coragem dos que querem aquela lucidez, não trapaceia com a realidade. O esforço é para fazê-la emergir com uma contundência de aríete, augusto e máquina. Eis os polos do confronto e a procura deste livro surpreendente em sua dicção poética. Um corpo que sofre e uma alma que sonha um sonho em que nada permanece passivo – o que equivale a dizer sem interpretação e concreção em linguagem, território das transmutações. Como se o inconsciente se insurgisse e, chegando à flor da consciência, tentasse exibir “a matéria de que são feitos os sonhos” (Shakespeare). Desde o título, Per Augusto & Machina, o poeta des-capitaliza os vocábulos, quer rendê-los, observá-los e indagá-los sem mistificação, des-convencionando o arbitrário da língua. Por augusto e sua máquina, em favor de uma realidade mais real, em favor do homem-augusto, que assim grafado, adjetivado, nos remete a um ser humano restaurado à sua dignidade.Ler mais... Maria da Conceição Paranhos
Romério Rômulo nasceu em Felixlândia, Minas Gerais, e mora em Ouro Preto, onde é professor de Economia Política da UFOP.
Prefaciou a primeira edição assinada das poesias eróticas de Bernardo Guimarães, “O Elixir do Pajé” (Dubolso, 1988), mais de 100 anos depois da edição original.
Já publicou diversos livros, como “Só pedras no caminho pedras pedras só pedras nada mais” (Lemi, BH, 1979), “Anjo Tardio” (Edição do Autor, Ouro Preto, 1983), “Bené para Flauta e Murilo” (Edições Dubolso, Sabará, 1990), a caixa “Tempo Quando” (contendo 4 livros em 2 volumes, Dubolso, 1996)e Matéria Bruta” (Altana, SP, 2006).
Seu último livro é "Per Augusto e Machina" (Altana, SP, 2009).
Actualmente, prepara um livro de poemas sobre o amor.
ROMÉRIO RÓMULO AGRADECE AOS AMIGOS meg:
deixo aqui o meu grande abraço a todos os que leram os meus poemas e, em especial, deixaram comentários. tenho a maior satisfação em estar neste espaço. um beijo.

40 comentários:

Moacy Cirne disse...

Romério, grande poeta, merece ser saudado por todos nós. Aguardo o seu livro com bastante curiosidade.

Um beijo.

bodegacultural.com disse...

Sua poesia é do tamanho do seu coração e de sua generosidade...

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Uma poesia nova sem dúvida!!!
Meg, que lindo o novo visual de Recalcitrante... dá mesmo vontade de mergulhar nesse mar ao por-do-sol... Aka!
Bjs

MPS disse...

Romério

O horror fere mais quando é visto à luz da manhã - porque ela prova que o crime é real. Gostei da intensidade com que nos disse isto.

Um abraço

MPS disse...

Meg, a mensageira...

Ficámos, então, a saber que está a sair novo livro do Romério. Resta-me agradecer a quem aceitou ser o Mercúrio deste Augusto.

Um abraço

Meg disse...

Moacy,

O meu Poeta.
Ele já está ai nas bancas...
Cá, vai demorar mais um pouco. Mas chegará.

Um cheiro procê

Meg disse...

Bodega Cultural,

Carlinhos, eu sei, você sabe, Romério Rómulo não é só um grande Poeta, é um Homem com letra maiúscula.
Uma honra merecer a sua amizade.

Um abraço

O Guardião disse...

Contundente e certeiro, sem concessões são características que vou registando neste autor que me foi aqui revelado.
Cumps

Meg disse...

Nami,

Obrigada, meu amigo.

Gostaste do meu mar?

Não, não é o pôr do sol, é o amanhecer no mar... o que é mais raro ver-se.
Esta é a "minha" África austral, onde o sol nasce no mar.

Um abraço

Meg disse...

Cara MPS,

Encaminhei o seu comentário para o autor...o já nosso amigo Poeta.
Logo que possível, ele virá aqui dar uma palavra aos amigos... como sempre.
Um abraço

Meg disse...

Amiga MPS,

O livro acabou de sair e já está à venda no Brasil... por isso o trouxe aqui.
Para cá, vai ser um pouquinho mais demorado, mas quem quiser, pode comprá-lo pela internet.

Obrigada, minha amiga, pelas suas palavras.

Um abraço

Meg disse...

Guardião,

É, na verdade, um Poeta que já conheces daqui.
A sua poesia é marcante... contundente e certeira, como dizes.
E tem um lugar especial neste blog.

Um abraço

Agulheta disse...

Meg. Lindo a poesia de Romério Romulo,como tantas vezes a li,agora ando um pouco distante do verso e prosa,talvez pela falta de opinião!O teu blog está lindo,este amanhecer no mar,é lindo e nos faz relaxar,como adoro o mesmo ele para mim tem sempre beleza,seja no verão ou no inverno.
Beijinho amigo sempre.
Lisa

Renata disse...

Olha eu aqui de novo!
Ser musa dá um trabalhoooo :)

beijoooooo

Ana Tapadas disse...

Meg:
O teu «baner» é magnífico!
A poesia do Romério Rómulo também - forte e intensa. Descobri esse autor aqui nos blogues e acompanho as postagens dele com muita admiração.
Obrigada pelo teu comentário.
Jinho

Meg disse...

Lisa,

Agora temos mais um livro de Romério Rómulo, um Poeta que os amigos deste blog já conhecem.
Por isso, aqui dou conta do livro que acabou de sair.
Ao V&P, voltei, agora que estou de férias, pois no Verão foi-me impossível.
Esperamos por ti, lá...

Beijinho

Meg disse...

Ana,

Obrigada pelas tuas palavras.

Romério Rómulo é um "velho Amigo" deste blog, por isso,aqui anuncio aos amigos a saída de mais um livro.
Mas RR tem também um blog que decerto conheces... está também na barra lateral deste blog.

Um abraço

Meg disse...

Renata, A MUSA!!!

Que bom ter aqui, ao vivo e a cores, a Renata do poema...

Uma poeta de mão cheia como você,
vai preparando um poema, para me honrar e brindar os amigos deste blog...
Romério, não fique com ciúmes!!!

Beijoooooooooooooo
aos dois POETAS

CRIS LIMA disse...

LINDO,
TUDO,ESTAREI MAIS POR AQUI
BJ
CRIS LIMA

Nydia Bonetti disse...

Não conhecia este segundo poema, Meg. Que maravilha. Tem a marca do poeta:

... este sertão calado, que feito mar, estreita sobre a terra ...

beijos!

Menina do Rio disse...

Oi Meg querida! Imenso é o teu coração, sempre presente na divulgação de autores; sempre nos partilhando sentires.
Deixo um beijo na tua semana, querida

Meg disse...

Cris,

Bem vinda a este espaço e
obrigada pela visita ao nosso amigo e Poeta, também muito acarinhado pelos amigos deste blog.

Um beijo para ti,

Meg disse...

Nydia,

Cada poema do Romério Rómulo tem a sua marca pessoal e inconfundível... também acho, minha amiga.

Um beijo para ti

Meg disse...

Verónica,

Obrigada pelas tuas palavras de amizade.
Gosto de poesia, não sou poeta, e isto me dá tanto prazer!
E Romério Rómulo é, de há muito, um Amigo deste blog, e de todos os que o visitam, como sabes.

Um beijinho

Pata Negra disse...

Meg, encontro-me numa espécie de purgatório. Não sei se hei-de ressuscitar se transmigrar! O Marreta é outra coisas, ele morre apenas no caminho que há entre uma e outra tasca.
Continua a espalhar poesia. Coração e poesia nunca fizeram mal a ninguém!
Um abraço (santo guerrilheiro?! todos os guerrilheiros são santos desde que não matem a inocência!)

O Guardião disse...

O meu regresso deve-se às boas notícias que afinal soube por ti e aqui, quanto aos dois "defuntos" que afinal não estão tão defuntos assim, e ainda bem.
Cumps

Meg disse...

Pata Negra!!!!!

Que alegria!
Ainda me matas do coração!
Claro que quero que ressuscites, e depressa, que NOS fazes muita falta!
As tuas palavras são aquela lufada especial que passa cá por casa.
E não te esqueças que há muita gente à tua espera... eu é que sou mais melga.

Um beijo grande para ti,
e volta sempre.

Meg disse...

Guardião,

Estes nossos amigos, e tu também, fazem-me sair do sério.
Ora agora vou eu, ora agora eu já fui... faxavôr!!!!
Olhem que eu já não tenho idade para estas emoções!
Vá lá, portem-se bem!
Festinhas!

Um abraço, meu querido amigo

utopia das palavras disse...

Um poeta que me apraz muito ler, conheci-o por aqui, por isso te agradeço! Vou aguardar o livro!

Um beijo para ele também

Beijos, Meg

Que beleza de mar e que sol! magnífica foto, que dá a este espaço uma espécie de encanto!

Meg disse...

Ausenda,

É um grande Poeta e, para além disso um grande Ser Humano, cuja amizade honra este blog.

Gostaste do meu amanhecer em Moçambique, lá onde o sol nas no mar? É maravilhoso.

Um beijo

Rui Figueiredo Vieira disse...

Um grande poeta comentado num grande blog. Cumprimentos

São disse...

Minha querida amiga, só vim para te demonstrar a minha gratidão pelo teu apoio nesta hora tão triste.

Que DEus esteja sempre atento a ti e aos teus.

Meg disse...

Rui Figueiredo Vieira

Seja bem vindo a este espaço, meu caro.
Tem razão quanto ao Poeta, já quanto ao blog... duvido. Só no tamanho.
Mas se se sentiu bem aqui, fico muito feliz.
As portas estão sempre abertas...

Um abraço

Meg disse...

São,

A amizade, além de virtual, pode ser também é real.

Um grande abraço para ti, minha querida amiga.

Bipede Implume disse...

A poesia grande de Romério.Deixa sempre um sulco na alma da gente.
E tu sua divulgadora entusiasta.
Minha querida, um bom fim de semana, com muito carinho.
beijinhos.
Isabel

Meg disse...

Isabel,

Romério éum grande Poeta, como sabes, já que segues o blog dele, mas é também um Coração Grande, posso afiançar-te.
E terá sempre um lugar cativo np Recalcitrante.
O lançamento do último livro, no fim de Setembro, foi, desta vez p pretexto para o trazer aos amigos.
Obrigada, Isabel.

Um beijinho para ti

Mônica disse...

Oi Meg!
Que inspirador o novo visual... o poeta Romério, com certeza, não poderia estar melhor acomodado!

Um grande beijo!
Mônica
(p.s: espero que o episódio MAITÊ não exista mais em sua memória...somos muito, muito mais!)

Meg disse...

Mónica,

Bem vinda a esta casa que é de todos os amigos.

O meu Poeta tem um lugar privilegiado cá em casa, pela sua Poesia, mas também pela sua grandeza humana, minha querida.

Sobre a Maité... qual Maité, não me lembro, ahahahah!!!!!

Obrigada pelas tuas palavras carinhosas.

Beijinho

romério rômulo disse...

meg:
deixo aqui o meu grande abraço
a todos os que leram os meus poemas
e, em especial, deixaram comentários.
tenho a maior satisfação em estar
neste espaço.
um beijo.
romério

Meg disse...

Romério, meu Poeta,

Esta casa é tua...

Beijo