8 de dezembro de 2008

Efeméride - Florbela Espanca

.
.
.
a 8 de Dezembro de 1894,
Florbela Espanca nasceu no Alentejo, em Vila Viçosa.
Morreu em Matosinhos em 1930.
[...]"Personalidade excepcional, de profunda riqueza interior, fez poesia da sua experiência de mulher, com superior consciência artística – poesia generosa, convulsa e ardente, em que toda a gama do amor se desdobra, da exaltação dos sentidos ao apetite de sacrifício, aos momentos de plenitude e de beatitude aos extremos de ternura e aos de desencanto e sofrimento, ao ressaibo amargoso das análises lúcidas, à consciência da solidão na união, da dolorosa, inelutável alteridade.Através de estados excessivos de transporte e de aniquilamento, numa vibração prodigiosa, que raros poetas atingem, mesmo numa lírica caracterizadamente emocional como a nossa, Florbela Espanca reflecte uma fundamental insatisfação – ânsia de absoluto, de infinito."[....]
In: J. Prado Coelho - Dicionário de Literatura - Figueirinhas – 1978
Florbela Espanca, by Bottelho
OS MEUS VERSOS
Rasga esses versos que eu te fiz, Amor!
Deita-os ao nada, ao pó, ao esquecimento,
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento
Que a tempestade os leve aonde for!
Rasga-os na mente, se os souberes de cor
Que volte ao nada o nada de um momento!
Julguei-me grande pelo sentimento,
E pelo orgulho ainda sou maior!...
Tanto verso já disse o que eu sonhei,
Tantos penaram já o que eu penei!
Asas que passam, todo o mundo as sente...
Rasga os meus versos... Pobre endoidecida,
Como se um grande amor cá nesta vida
Não fosse o mesmo amor de toda a gente!...
.
Florbela Espanca
.
.
.
«««««o»»»»»
.
.
.

44 comentários:

tulipa disse...

Olá MEG

Bonita homenagem a Florbela Espanca.
Faz hoje 34 anos que o meu filho foi baptizado, naquele tempo era um dia especial:
"Dia da Mãe"

Vim dizer que daqui p’ra frente este blog é um Masterblog!
Embora não tenha escrito no post, os nomeados, tenho o direito de eleger quem eu quero, visitando os blogs dos amigos, como estou a fazer.
Podes levar também o selo de:
I LOVE YOUR BLOG, porque é verdade!!!

Bom feriado.
Beijinhos.

romério rômulo disse...

meg:
a florbela espanca é puro gênio.
aqui pelo brasil há uns tantos poemas dela musicados.
um beijo.
romério

Agulheta disse...

MEG.Florbela Espanca foi e sempre será uma grande poetisa,um pouco triste,mas ela foi uma mulher sofrida,por isso seus poemas dizem sempre algo.
Beijinho amiga.
mandei email:Lisa

duarte disse...

florbela...ia-me esquecendo,não fosse a Meg lembrar-me...
quantas vezes não nos ocorre esse sentimento aqui descrito,pela Florbela?
abraço do vale

Meg disse...

Tulipa,
Quero agradecer-te o teres feito deste espaço um Masterblog. Fico muito comovida com a tua lembrança.
Assim como do selo.
Bem hajas por tudo, minha amiga.

Um abraço

Meg disse...

Querido Romério,
Neste aniversário da Florbela Espanca, não podia deixar de lje fazer aqui esta pequena homenagem.
Uma pequena lembrança para uma poetisa de excepção.

Um beijo

Meg disse...

Lisa,
Florbela tem uma poesia que diz muito da vida que teve, por isso tanta tristeza e até um certo dramatismo...

Um beijo

Meg disse...

Duarte,
É verdade, todos nós temos momentos destes, mais ou menos intensos mas dramáticos até.

Um abraço

Moacy Cirne disse...

Florbela é uma poeta muito querida no Brasil, entre aqueles que fazem poesia. Sua homenagem, mais uma vez, é mais do que justa. Um cheiro e um beijo.

Luis Eme disse...

a sua poesia é extremamente bela, não fosse ela uma Flor Bela...

abraço Meg

duarte disse...

meg...may I link you?
duartenovale

Filoxera disse...

Bonito!
É sempre uma lufada cultural, passar aqui.
Beijos.

Amaral disse...

Meg
Embora controversa Florbela é uma poetisa que marcou, e muito, a Poesia portuguesa.
Boa semana
Abraço

Zé Povinho disse...

Excessiva, insatisfeita? Talvez tudo isso, e também inconformada. No fundo todos devemos ser inconformados, e almejar o melhor ainda que não o consigamos alcançar.
Abraço do Zé

Paradoxos disse...

ser Florbela é ser mais alta...


beijos em ti estimada amiga Meg


Eduardo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Meg
Deixei aqui um comentário que não ficou gravado. Vou ver se o consigo reproduzir.

É que Florbela Espanca é uma referência tão forte que poucos portugueses a não conhecem. Raras serão as mulheres que, num momento ou noutro, não se sentem identificadas com este sentir que se exprime de forma intensa. Na chave deste magnífico soneto Florbela mostra-nos o quanto é ilusória a convicção de que, no nosso caso, o amor é especial e diferente. Tão especial e tão diferente que não ouvimos o vento que nos toca com a voz de outras experiências. Achamos sempre que desafiamos todas as regularidades.
Quando começamos a perceber que afinal o nosso amor é como todos os outros, é porque começamos a sentir ou a pressentir a dor da perda.
A realidade não se compadece com encantamentos.

Abraço

Meg disse...

Caro Moacy.
Florbela é considerada uma poetisa e uma mulher controversa para o tempo em que viveu. Foi principalmente uma mulher à frente do seu tempo, com tudo o que isso significa.

Esta é só uma singela homenagem à sua memória.

Um beijo e um cheiro

Meg disse...

Caro Luis,

A poesia de Florbela está entre o que de melhor se fez aquela época.

Um abraço

Meg disse...

Caro Duarte,

Why not? Of Course you can.

Um abraço

Meg disse...

Filoxera,
Foi só uma pequena homenagem, minha amiga!

Um abraço

Meg disse...

Amigo Amaral,
Sem dúvida... estou completamente de acordo consigo.

Um abraço

Meg disse...

Caro Zé,
Inconformada... eu diria que foi uma mulher que ousou muito e pagou por isso.

Um abraço

Meg disse...

Eduardo,

Que bom ver-te por cá! Obrigada pelas palavras.

Um abraço

Meg disse...

Lídia,

Por lapso comentaste no post anterior... não é grave, rsrsrs...

Que dizer de Florbela. Uma mulher que ousou, desafiou convenções e, quanto a mim, foi uma mulher muito à frente do seu tempo. Isso teve um custo que é bem representado na sua poesia...

Um abraço

Pata Negra disse...

Florbela será sempre, de seu nome, flor e bela. Mas também de seu nome, espanca os versos - que é isso de espancar versos?!
-Também não sei! Foi apenas para dizer à Meg que esta, eu conheço, a que fazia sonetos, que era alentejana e que... amava... quanto mais não fosse amava em versos!
Flor-minha-bela-ser-perdidamente.
E um abraço em chave de ouro

padeirinha disse...

Grande poetisa, angustiada, como a maioria dos grandes artistas.

São disse...

Pobre mulher angustiada que nem a grandeza da poesia salvou do desepero!!
Beijos.

Meg disse...

Caro Pata Negra,

Florbela Eapanca, esta que tu conheces... amou e perdidamente.
E se calhar onde amou demais foi nos versos que nos deixou.
Amores proibidos, dizem.

Um abraço

Meg disse...

Padeirinha,

Angustiada porque avançada para o seu tempo...

Um abraço

Meg disse...

São,
Alma atormentada, o desespero foi companheiro ao longo de tão curta vida.

Um abraço

anamarta disse...

Meg
Como sempre passar por aqui é um prazer! estou retomando o meu ritmo e vou passar mais vezes.Florbela foi e será sempre uma grande poetisa. parabéns pela homenagem que aqui lhe prestas.
um abraço e até breve

bettips disse...

Mulher e incómoda para a sociedade.
Percorre-me um ar sepulcral, ao lê-la.
Desde nova.
(acreditas que me passou mesmo agora e aqui ao lado, uma foto que tirei há anos do palácio de Vila Viçosa? um puro acaso!)
Beijinho

Meg disse...

Anamarta,

Que bom este teu regresso, minha amiga! A vida continua, é isso que se costuma dizer... mas só com uma grande dose de coragem se dão estes primeiros passos de volta à vida "normal".

Um beijo para ti

Meg disse...

Querida Bettips,

Vida trágica a desta mulher. E morreu como viveu, afrontando as convenções...
Tu, as fotografias e as coincidências... Serão?

Beijos para ti, minha amiga

Menina do Rio disse...

Meg, sabes que sou apaixonada pelas poesias de Florbela. Ela escrevia muito do que sinto.

Quanto à festa de meu aniversário, não seria festa se meus amigos não estivessem lá. Por isso, só tenho a alegria de poder retribuir o carinho que recebo. Ia ficar era triste se não fosses me ver.
Te deixo um beijinho no calor da noite de cá.
Fica bem querida.
És parte de meu mundo

Cuide-se

Maria disse...

No dia 8 a blogosfera foi muito Florbela... que bom...

Um beijo, Meg, sempre deste lado

A paginadora disse...

QUERIDA E GRANDE AMIGA

ESTOU DE VOLTA COMO VÊS. DESCULPA A MINHA LONGA AUSÊNCIA MAS NÃO ME FOI POSSÍVEL EVITÁ-LA DE TODO ACREDITA.
LI O TEU POST COM SOFREGUIDÃO: PELA SAUDADE QUE TINHA DE O FAZER, MAS TAMBÉM PELA BONITA HOMENAGEM ( E MERECIDA) À POETISA ALENTEJANA FLORBELA ESPANCA, QUE TÃO BEM SOUBE
EXPRESSAR NOS SEUS POEMAS O AMOR, A SAUDADE, A TERNURA, O DESEJO. TAMBÉM A ANGÚSTIA E A SOLIDÃO QUE FAZEM IGUALMENTE PARTE DAS ALMAS INQUIETAS.
AOS POUCOS VOU LER TODOS OS POST'S QUE PERDI ATÉ AQUI.
UM GRANDE BEIJINHO PARA TI AMIGA E... OBRIGADA.

Carla disse...

os teus trabalhos são sempre tão completos que é impossível não sentirmos um imenso prazer na sua leitura
beijos e bom fim de semana

Mariazita disse...

Querida Meg
Florbela Espanca! A minha preferida (das poetisas, mulheres).
Tenho toda a sua obra, desde há bastantes anos, que de vez em quando releio.

Foi uma perda muito grande, a sua morte, tão jovem. Mas com a vida sofrida que teve, equivale a ter vivido muito mais tempo.

Gosto de toda a poesia dela, mas este que publicas, "Os meus versos", e "Amar", são, talvez, os meus poemas preferidos.

Muito linda a tua homenagem.

Beijinhos
Mariazita

Meg disse...

Verónica,
Florbela é um marco na poesia portuguesa. controversa e incómoda por vezes, mas audaciosa.Sempre.

Mais uma vez, um feliz aniversário!

Beijo

Meg disse...

Maria,

Isso quer dizer que foram muitos os que se lembraram de Florbela Espanca. Bom sinal, cá deste lado.
Um abraço grande

Meg disse...

Paginadora,

Fico muito feliz com o teu regresso, pois isso quer dizer que as coisas se vão compondo.
Claro que sentimos a tua falta, eu senti a tua falta.
Espero que deste fiques de vez.

Beijinhos

Meg disse...

Carla,

Muito obrigada pelas tuas palavras de carinho.
Para ti um beijo

Meg disse...

Mariazita,
Para mim é difícil fazer uma escolha na obra de Florbela Espanca.
Foi uma mulher avançada para o seu tempo e isso saiu-lhe caro, quem sabe se não lhe valeu mesmo a morte prematura.
Uma modests homenagem só, minha amiga.

Um abraço