16 de setembro de 2008

ROMÉRIO RÔMULO

.
.
Com o maior prazer vos deixo com Romério Rômulo, um grande amigo.
Será que ele vem responder aos vossos comentários?
.
CONFIRMADO... meg
.
.
.«««««o»»»»»
.
.
.
"A poesia é a mais difícil das artes da palavra.
Difícil de escrever, difícil de ler e difícil de aprender.
Existem poetas tão complexos que só toleram ser compreendidos depois de várias leituras [...] Pois bem. Eis que agora, depois de palmilhar longamente as estradas da poesia, experimentando caminhos, atalhos, veredas e trilhas, em livros que indicavam o rumo mas não desvelavam segredos, Romério Rômulo desencanta de vez com Matéria Bruta,
um livro que tem a grandeza e a maturidade dos poetas maiores"
.
[Sebastião Nunes]
.

poeta que de minas faz seu canto
vou revelar aquela face rubra
de mais um sol antecipado noite.
.
trazer crateras de montanha, mar
de minérios que faz hortelã
ter uma sabor tomado por ausência.
um verdejante arco de boi, traste
de, no cerrado, dente mudo, ver
na sua carne os rasgos desta gente.
que animal há de viver somente
no exercício fácil do resgate?
que montanha rasgar, tão inimiga,
se sobra o vácuo puro do mistério?
minas mais que sabor: traição, penúria,
é mais que o fácil boi dolente
remansado de pragas pelos pêlos.
é tão mais, mais que a barba bisavó
de inácios que me soam serem eu.
inesgotável minas, uns deuses
lhe ampliaram a face-toda-água.
[Matéria Bruta ]
Romério Rômulo nasceu em Minas Gerais, e é professor de economia política da Universidade Federal de Ouro Preto. Romério Rômulo é ainda um dos fundadores do Instituto Cultural Carlos Scliar, de que falaremos um dia destes.
.
<<<<<0>>>>>
.
.
. Por Régis Gonçalves:
.
"O título do livro mais recente de Romério Rômulo traduz com exatidão a natureza de sua poesia: Matéria bruta.
Romério Rômulo não é um poeta dado a refinamentos. A paisagem que se descortina a partir de seus versos é feita da aridez do sertão, seu chão de pedras e vegetação enfezada. Sobre ela, uma humanidade rude, amargando a dureza da vida, entre choro e ranger de dentes. Se for possível estabelecer conexão entre a biografia e a obra, o percurso a que nos conduz a poesia de Romério Rômulo passa pela expressão barroca do imaginário sertanejo. Nascido no sertão do São Francisco, o poeta fixou-se em Ouro Preto ainda estudante e lá reside até hoje. Não é de estranhar que seja capaz de empreender com êxito uma síntese entre as muitas Minas que existem dentro e fora dele.
[...] ...Que não se espere, portanto, da leitura de “Matéria bruta” uma viagem confortável pelo mundo das palavras. O poeta promete apenas uma difícil caminhada pelas agruras do verso, compensada ao fim e ao cabo pela revelação de uma autêntica forma de beleza."
.
.
««««««o»»»»»»
.
.
.

60 comentários:

romério rômulo disse...

meg:
você faz uma pergunta de resposta
já sabida.claro que estarei aqui para conversar com os amigos do
"recalcitrante".
um beijo.
romério

Moacy Cirne disse...

Conheci Romério através de Tião Nunes; agora, nas últimas semanas, redescubro-o através de você. Nele, a poesia se faz "mineiridade". Como, por exemplo, em outro grande poeta mineiro: Affonso Ávila. Um abraço. E um cheiro.

Bipede Implume disse...

A poesia assim nascida de terrenos e vidas tão duras como que nos eleva e nos tráz de volta com tanto impacto que nos acorda.
Por isso gosto tanto de poesia.
Também me agrada a música, muito.
Grande abraço sábia Meg.

Anónimo disse...

meg,
rr é tudo de bom.
seja como profissional, amigo ou escritor e poeta.
adorei ter lido um pouco mais sobre ele.
muito boa idéia de ter homenageado nosso poeta
beijo!

Rose de Castro
Ghost Writer e Poeta

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Este post é bom demais para o tratar com alguma ligeireza e, por isso, voltarei noutro dia.
Este Verão tem sido devastador para mim porque já perdi (por morte) 3 grandes amigos e, por isso, tenho estado menos presente.
Mas voltarei.Romério Rômulo é um grande incentivo e tu também.

Abraço

romério rômulo disse...

"moacy","bípede implume","rose de castro","silêncio culpado":
obrigado pela presença de todos e
pelas falas sobre a poesia no geral(essa única coisa ainda não tornada mercadoria)e em meu trabalho,particularmente.os elogios,se vistos de forma adequada
por quem os recebe,certamente
fortalecem.
meu abraço.
romério

pin gente disse...

longe de mim dizer que o escreveria assim, mas pensei em muitas coisas que li no texto de régis gonçalvez.
acho que este poema faz juz ao título da obra.

um abraço
luísa


faz tempo que não te visitava, voltarei

Sei que existes disse...

Concordo inteiramente com o primeiro texto sobre a poesia/poeta!
Mais uma vez obrigada por toda a tua informação.
Beijocas grandes

f@ disse...

Já antes tinha lido aqui no teu espaço um ou dois belíssimos posts com entrevista e poesia de RR ... que adorei... depois fui vendo mais alguma coisa na net...
Esta forma de escrever o palpável... como se pudesse sentir o chão nos pés descalço e o cheiro das ervas e do ar...
gostei mto
beijinhos das nuvens

Peter disse...

A propósito de um comentário teu ao meu texto sobre o "bosão de Higgs"* eu depois de ler o poema fiquei como tu...

P.S.-O texto já consta do GOOGLE.

romério rômulo disse...

"luisa pin","sei que existes","f@",
"peter":
estive no blog de cada um de vocês
e deixei lá minha palavra.mais uma
vez obrigado pela atenção.
romério

Rafael Coelho disse...

Caro Romério Rômulo,

Uma pergunta que acho adequada fazer a todos os poetas: Como foi o seu primeiro beijo?

Pode parecer pergunta de caderno de mocinha, mas além delas, poetas gostam de responder a essa pergunta. Tomara que seja seu caso.

Um abraço.
Rafael Coelho

C Valente disse...

Mais um pequeno tratado para nosso conhecimento, aqui é cultura
Saudações amigas

Maria disse...

Obrigada, Meg, por nos dares a conhecer mais um bocadinho de Romério Rómulo.

Beijinho

Marco Ferreira disse...

Mais uma bonita poesia.

Abraço.

marinheiroaguadoce a navegar

romério rômulo disse...

rafael coelho:
eu vou lá ter alguma coisa contra qualquer pergunta sua?esses cadernos de mocinhas a que você se refere nunca passaram por mim.e isso me incomodava.eu torcia pra que alguma delas se interessasse
pelas minhas questões.não aconteceu.
diretamente sobre a pergunta,pensei um bocado e não consegui me situar.suponho que não tenha sido nada marcante, ou que possa ter sido um ato ansioso.me lembro bem que por essas épocas eu dominava os conceitos mas era precário na ação.
um grande abraço.
romério

Amaral disse...

Meg
Mais um belo momento poético. Parabéns ao autor.
Abraço

nydia bonetti disse...

Muito bom conhecer um pouco mais de Romério e sua poesia. Posso compreender melhor o poeta agora. Nascido no sertão do São Francisco, forjado nas montanhas de Minas. Entre o seco e o verde, brotam seus versos...
Beijo

mundo azul disse...

O poema é duro sim...Mas, há muita beleza nos mosaicos duros do sertão e nas pedras batidas pelo mar...


Gostei demais dos versos de Romério!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

Fênix disse...

RR, meu caro,

Já se decidiu entre Franciscano ou Krishna?

Se seus dias como Poeta estão contados, vou começar a pensar em estratégia comercial para elevar o preço de venda dos livros!

;o)


Se seu livro é caminhar pelas agruras do verso, digo - por experiência - que o final do percurso revela beleza única; tantas vezes inesperada; tantas vezes perturbadora.

Beijoooooooooooooooo

Carminda Pinho disse...

Olá Meg, Olá Romério!
Tenho andado um pouco arredada da blogosfera, chego aqui, e os meus olhos e sentidos ficam "colados" ao texto ao poema, e sinto ainda mais saudades vossas.

Obrigada Meg por trazeres as palavras do "nosso" poeta.

Obrigada Romério por mais uma vez, estar aqui no Recalcitrante.

Beijos para vós.

Zé Povinho disse...

Quando as palavras se coadunam com os espaços da vida transmitem o gosto pela natureza, talvez rude mas certamente bela.
Abraço do Zé

Carla disse...

Conhecia a obra deste poeta através de ti amiga...encantei-me e continuo encantada com a arte que sai das suas mãos
beijos

Marco Ferreira disse...

Bom fim de semana.

marinheiroaguadoce a navegar

Meg disse...

Romério,
Eu sabia que você não deixaria de estar presente nestes comentáios dos seus amigos, apesar de suas limitações em termos de tempo.

Estive ausente do blog durante dois dias mas estou de volta para responder, com o maior prazer, a cada um dos amigos que passaram por aqui.

Beijos
Meg

Meg disse...

Caro Moacy,
Você sabe que Romério terá sempre aqui um espaço para a sua poesia.
Além de Poeta ele é um amigo.
Um cheiro. Um abraço

Meg disse...

Isabel,

Esta é uma poesia feita da dureza própria do sertão. Outra Poesia.
Apraz-me que tenhas gostado da música.
Um abraço

Meg disse...

Rose,
Tens razão, o nosso Poeta é isso tudo.
E aqui é, além de tudo isso. um amigo já com várias presenças.

Um abraço

Meg disse...

Rose,
Tens razão, o nosso Poeta é isso tudo.
E aqui é, além de tudo isso. um amigo já com várias presenças.

Um abraço

Meg disse...

Lídia,
Sei como és atenta ao conteúdo dos posts e por isso te compreendo.
As circunstâncias que referes são infelizmente aquelas a que não podemos fazer frente, minha amiga.
Um abraço solidário

Meg disse...

Amigo Romério

Agradeço a tua presença aqui e estas tuas palavras aos amigos que te visitaram até agora.
Sei que vais estar com o tempo muito reduzido, mas também sei que logo que estejas disponível, aqui estarás.
Fica o recado para os amigos.

Um beijo
Meg

Meg disse...

Pin Gente

O texto de Régis Gonçalves ajuda, e muito. a entender o Poeta e o poema. É como dizes.
Um abraço

Meg disse...

Sei que Existes
Maria João,
A apresentação de Sebastião Nunes é importante para compreendermos o percurso do Poeta e melhor entendermos o poema, é verdade.

Um abraço

Meg disse...

F@
"Esta forma de escrever o palpável... como se pudesse sentir o chão nos pés descalço e o cheiro das ervas e do ar..."
Também gostei da forma como sentiste este poema...
Um abraço

Meg disse...

Peter,

Como deves compreender, também entendo o que te acontece... há coisas que estão para além da nossa capacidade de olhar e ver.

Um abraço

Meg disse...

Amigo Romério,

Mais uma aberta, mais umas palavras que tão bem irão saber aos amigos deste blog, aos teus amigos.
Mais um agradecimento desta tua amiga.

Beijo
Meg

Meg disse...

Rafael

E quem sou eu para me meter em diálogo entre Poetas?
Deixo-te o meu agradecimento pelo visita.

Um abraço

Meg disse...

Caro amigo Valente,
Obrigada pela visita e pelas suas palavras.
Um abraço

Meg disse...

Maria,
Romério Rômulo será sempre um Poeta
e um Amigo da "casa". Com muito carinho da parte dos amigos deste blog.

Beijinhos

Meg disse...

Marco,

Obrigada, meu amigo.
Este é um poema de um grande Poeta e dum grande amigo deste blog também.
Um abraço

Meg disse...

Amigo Romério,
Ao Rafael já disse que não me intrometo nos diálogos entre poetas.
Por isso, a ti, Poeta, coube a resposta a este comentário.

Beijo
Meg

Meg disse...

Amigo Amaral,
Obrigada pela passagem e pelas palavras. O poeta terá ainda uma palavra a dizer... mais tarde, que
o tempo escasseia neste momento.
Mas virá sem dúvida.
Um abraço

Meg disse...

Nydia,
Obrigada pela tua visita e pela leitura sobre o nosso Poeta, que virá aqui logo que possível.

Um beijo

Meg disse...

Mundo Azul
Zélia, o poema é duro porque dura é a vida no sertão. Obrigada pela sua visita.
Um abraço

Meg disse...

Fénix,

Enquanto o Poeta não vem, vou-te agradecendo a visita...

"Se seu livro é caminhar pelas agruras do verso, digo - por experiência - que o final do percurso revela beleza única; tantas vezes inesperada; tantas vezes perturbadora."
Lindo

Beijo
Meg

Meg disse...

Fénix,

Enquanto o Poeta não vem, vou-te agradecendo a visita...

"Se seu livro é caminhar pelas agruras do verso, digo - por experiência - que o final do percurso revela beleza única; tantas vezes inesperada; tantas vezes perturbadora."
Lindo

Beijo
Meg

Meg disse...

Carminda,

Estou feliz por estares de volta e aqui neste post dedicado ao nosso Poeta.
Enquanto ele não vem...
Um abraço

Meg disse...

Amigo Zé Povinho,

Pois é, até na natureza mais dura, mais agreste pode haver poesia, assim exista um Poeta.

Um abraço

Meg disse...

Carla,

Ainda bem que te vejo de volta e para comentar este Poeta que de certa forma já vamos conhecendo.
Aqui e por outras paragens.

Um abraço

Meg disse...

Amigo Marco


Um óptimo fim de semana para ti também.
Um abração

romério rômulo disse...

"c. valente","maria","marco ferreira","amaral","nydia bonetti",
"mundo azul","fênix","carminda pinho","zé povinho","carla","marco
ferreira":
agradeço a todos vocês a presença e os comentários.visitarei cada um no seu blog para um contato pessoal.
um abraço grande.
romério

A paginadora disse...

Querida MEG
Hoje estou de volta mas por pouco tempo, nem sei se poderei visitar todos os amigos desta vez. Adoro a poesia de RR. Continuo a fazer aqueles exames todos e aguardo tb ansiosamente pelo desenrolar dos resultados. Mas não podemos deixar-nos abater não é verdade? Um forte abraço para o RR e para ti minha amiga um grande beijinho e ÂNIMO...

MPS disse...

Romério

Poema de um visualismo intenso, mostrando a rudeza da vida dos homens "rasgados", de condição inferior à das bestas.

Nem sei se é apelo, denúncia ou constatação, mas alguém há-de reparar na "hortelã com sabor tomado por ausência" - verso centro do poema e o único dissonante por ser olfacto e paladar.

O Romério cativou-me com este poema como, há muito, me não acontecia. Obrigada a si e obrigada à Meg porque mo deu a conhecer.

Um abraço a ambos.

romério rômulo disse...

paginadora:
agradeço sua vinda ao "recalcitrante" e todas as suas palavras sobre o meu trabalho.
um abraço.
romério

romério rômulo disse...

mps:
muito obrigado pela sua análise do meu poema e por todas as declarações feitas.o que você me
diz tem peso especial.
meu abraço.
romério

Marcilio Medeiros disse...

meg,
parabéns por trazer o romério para cá novamente.
a página, reformulada, está ainda mais encantadora.

rr,
é sempre um prazer reencontrar sua poesia esmerada e reveladora.

grande abraço aos dois,

Meg disse...

Romério,
Obrigada pelas suas palavras, aqui, para os seus amigos.

Beijo para você

Meg disse...

Amiga Paginadora,

Obrigada pela tua visita e pelas tuas palavras, como sempre cheias de ânimo.
Um grande abraço

Meg disse...

Cara MPS

Muito obrigada a si também pelo contributo que dá a este espaço.
O RR é um grande amigo além de um grande poeta.
Um abraço

Meg disse...

Marcílio,
Obrigada pela sua visita e pelas suas palavras.
O RR é um amigo que tem sempre um lugar de destaque neste espaço.
Um abraço